Rodrigo Constantino

Ele se define como "um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda politicamente correta".


E os outros países?

Quem se informa por nossa mídia nem fica sabendo que o Brasil é o quinto país que mais vacinou no mundo, e que faltam vacinas para todos

Se um marciano chegasse ao Brasil hoje e ligasse nos principais canais de televisão, acharia que existe um vírus letal apenas em nosso país, que causa mortes aos milhares exclusivamente por culpa do presidente Bolsonaro. Ele não saberia de qualquer outra doença fatal e de causas variadas de morte, que ceifam a vida de cerca de 1,4 milhão de brasileiros todos anos.

Nova Zelândia adotou rígido lockdown para conter a disseminação do novo coronavírus – Foto: PixabayNova Zelândia adotou rígido lockdown para conter a disseminação do novo coronavírus – Foto: Pixabay

Pensaria só existir a tal Covid-19, e que o vírus é definitivamente brasileiro. Se ele tivesse alguma curiosidade, porém, descobriria coisas interessantes. Ficaria sabendo, por exemplo, que se trata de uma pandemia, que levou centenas de milhares de pessoas a óbito em inúmeros países.

No México, foram cerca de 200 mil mortos, para uma população pouco maior do que a metade da nossa, que ficou em confinamento por boa parte do último ano. Mas isso não impediu esse resultado. A imprensa brasileira finge que o México não existe. Seu presidente é socialista.

O mesmo acontece com a Argentina. Em termos de morte por habitante, o país está pior que o Brasil. O governo adotou um rigoroso lockdown, que ajudou a derrubar a atividade econômica, que despencou mais do que o dobro da nossa. O presidente é outro socialista, e nossos jornalistas preferiram apagar o país do mapa.

Nos Estados Unidos, falava-se muito da pandemia, mas só até a última eleição. Quando Trump saiu do poder e assumiu o democrata Biden, foi como se a pandemia tivesse desaparecido. A contagem mórbida de cadáveres deu lugar a outras pautas menos indigestas. A atriz Jane Fonda chegou a confessar que o vírus foi um presente de Deus para a esquerda.

No Brasil, Lula disse a mesma coisa. Condenado por corrupção, e depois solto pelos companheiros supremos que também o tornaram elegível, Lula já fala como candidato e menciona vacinas, máscara e tudo mais, como um grande humanitário calcado na ciência, contra um presidente obscurantista e genocida.

Por falar em vacina, quem se informa por nossa mídia nem fica sabendo que o Brasil é o quinto país que mais vacinou no mundo, e que faltam vacinas para todos. No Canadá, o primeiro-ministro é criticado, na Alemanha e na França a população desconfia, e Merkel, a gestora da ciência, pediu desculpas pelo lockdown rigoroso que falhou. Até na Suíça empresários e legisladores reclamam da lentidão da vacinação. Quem diria, não?

O nosso amigo marciano tampouco saberia, pela nossa imprensa, que o vírus veio da China. Ele nem desconfiaria que o país é controlado por uma ditadura opressora, que vem tentando chantagear países latino-americanos.

Os chineses marcaram até reunião direta com o presidente da Câmara, ignorando que temos um presidente da República. E a mídia adora!Eis a conclusão do marciano: tudo é culpa de Bolsonaro, e tudo vai melhorar só quando ele sair do poder. É a narrativa da nossa mídia.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.