Merisio diz que quer aliança com o eleitor para vencer no 2º turno para governo de SC

Candidato mais votado no Estado diz que apoio a Bolsonaro ficará em segundo plano e que momento é de apresentar propostas para o Estado

Superando os resultados das pesquisas eleitorais realizadas por diferentes institutos, o candidato Gelson Merísio (PSD) se consolidou como o mais votado na disputa pelo primeiro turno em Santa Catarina. Foram 1.121.869 votos frente a 1.071.406 para o segundo colocado, Carlos Moisés (PSL). Quando mais de 95% das urnas apuradas no estado já apontavam que a disputa iria para o segundo turno, Merísio quebrou o silêncio: “vamos fazer uma aliança com o eleitor para o segundo turno”, disse Merísio.

Merisio foi candidato mais votado em Santa Catarina e disputará 2º turno - Eduardo Valente/Divulgação
Merisio foi candidato mais votado em Santa Catarina e disputará 2º turno – Eduardo Valente/Divulgação

O candidato disse respeitar a escolha do eleitorado e agradeceu os mais de 30% conquistados nas urnas. Merísio afirmou que a expectativa era de que o segundo turno fosse disputado com Mauro Mariani (MDB), que aparecia em primeiro nas pesquisas. Merísio disse que respeitará o seu adversário e fez um apelo aos eleitores que escolheram outro candidato e que agora, no segundo turno, terão que voltar às urnas para fazer a escolha definitiva.

Merísio lembrou que ambos os candidatos que agora vão ao segundo turno empunharam a bandeira pelo voto em Bolsonaro, que também vai ao segundo turno na disputa pela presidência. “O quadro nacional, agora, fica em segundo plano porque os dois candidatos apoiam Bolsonaro”, disse.

Merísio, que votou em Chapecó, pela manhã, acompanhou a apuração do resultado das urnas em Florianópolis, no Hotel Faial, onde recebeu apoiadores e correligionários do partido. O candidato conversou com jornalistas e falou sobre a expectativa para a corrida pelo segundo turno:

Notícias do Dia: Passado o primeiro turno, como a candidatura buscará apoios apara o segundo turno?

Gelson Merísio: Vamos buscar a aliança com o eleitor, não procuraremos partidos políticos, mas estaremos abertos ao apoio de todos que votaram em outro candidato no primeiro turno. Agora, o que está em jogo é o futuro de Santa Catarina, onde a experiência, o preparo e o debate profundo sobre temas que são importantes para o Estado. Espero poder contar com a maioria do eleitor catarinense compreendendo as nossas convicções.

ND: Como foi a recepção do resultado das urnas e como será o discurso para o segundo turno?

Merísio: Nós construímos uma eleição muito sólida, tendo João Paulo Kleinübing de Blumenau, região extremamente importante para Santa Catarina, e eu lá do Oeste. Também foi feito um trabalho muito forte na região Norte e aqui em Florianópolis, liderados por Esperidião Amin. Agora, no segundo turno vamos aprofundar o debate onde a experiência e o preparo serão a marca da decisão do catarinense.

ND: Os dois candidatos no segundo turno em SC apoiam Bolsonaro, isso pode pesar na escolha do eleitor?

Merísio: O quadro nacional, agora, fica em segundo plano porque os dois candidatos apoiam o Bolsonaro. Portanto, terá menos relevância e importância. O que queremos é fazer um debate profundo sobre Santa Catarina, porque o que estará em jogo é o destino do catarinense, que terá que ter Saúde de qualidade, Segurança Pública de qualidade. E aí que o preparo e a experiência de quem for o governante fará a muita diferença para o resultado.

ND: Quais serão as prioridades da campanha a partir de agora?

Merísio: O tempo é muito curto e nós precisamos conversar com o eleitor, mostrar o que queremos fazer e com muita tranquilidade, com muito respeito ao adversário, ao qual quero cumprimenta-lo pelo excelente desempenho. Aos candidatos que não foram para o segundo turno, respeitar a sua participação. E conversar com o eleitor. Nós temos a Segurança Pública como um problema a ser atacado, temos a Saúde e, sobretudo, pensar em enxugar a máquina pública. Reduzir cargo comissionados, para que tenhamos mais médicos, mais professores e mais policiais nas ruas.  

ND: Quando e como a campanha entrará para valer no segundo turno?

Merísio: Uma noite de sono e a partir de amanha retoma-se o que estava projetado. A expectativa do segundo turno era contra o MDB, agora mudou para um candidato novo candidato e nós temos que a partir daí respeitar e compreender o caminho que virá pela frente.

ND: Como você vê esta mudança do candidato que vai lhe enfrentar no segundo turno, muda alguma coisa na estratégia?

Merísio: Eu prefiro respeitar o resultado que eu tive. Agradecendo todos os eleitores. foram mais de 30% no Estado, mais de um milhão de pessoas que depositaram em mim e no João Paulo a sua confiança. E é a elas que eu quero agradecer e pedir àquelas demais que não estiveram conosco neste momento que prestem atenção às nossas convicções, nas nossas propostas e se entenderem que merecemos o apoio que possam estar juntos conosco no segundo turno independente de sigla partidária, porque agora restam duas opções e contamos poder contar com o apoio da maioria dos que restaram.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...