Os principais momentos da entrevista exclusiva de Jair Bolsonaro à RecordTV

Foi a primeira vez que o candidato à Presidência falou à TV depois de sair do hospital

A RecordTV exibiu na noite desta quinta-feira (4) a primeira entrevista do presidenciácel Jair Bolsonaro (PSL) desde que ele saiu do hospital. A seguir, os principais trechos da conversa exibida pelo Jornal da Record.

“Só tomei pé da gravidade dois dias depois. Juiz de Fora foi onde nasci de novo. Agradecimento aos médicos. Uma semana depois fui submetido nova cirurgia. Agressão cortou muita coisa dentro de mim. Foram momentos difíceis, não esperava estar nessa situação. Sou um homem de combate, gosto de estar nas ruas.”

“Não podemos deixar que um partido que mergulhou o Brasil na mais profunda crise moral e ética volte ao poder com as mesmas personalidades. Comandado de dentro da cadeia pelo senhor Lula, que colocou um fantoche, chamado Haddad. O que me propõe é unir o povo brasileiro.”

“O Brasil, que sempre teve muita credibilidade, ao longo dos últimos 13 anos, tudo foi jogado na lata do lixo.”

“Na Polícia Federal, o processo está sendo conduzido por um delegado que foi homem de confiança do governador Fernando Pimentel. A tentativa de alguém tentar entrar na Câmara com o nome do agressor, ele teria um álibi, se tivesse conseguido fugir. Um ato como esse não pode partir de uma pessoa isolada. A política brasileira não pode descambar para esse lado.”

“O Brasil é um só povo. Não podemos continuar aceitando a divisão de classes. Esses rótulos [racista, homofóbico] jogam para cima de mim porque não podem me chamar de corrupto, que é o que eles são.”

“Nós temos nas redes sociais que alimentamos há anos com verdades. Temos um exército de seguidores que acreditam com o que nós postamos. O candidato do PT disse no nordeste que nós vamos acabar com o Bolsa Família. Toda eleição é isso. É um combate duro. Nós não pregamos fake news.”

“Você tem que ver quem estava no movimento Ele Não. Artistas que há anos estão mamando na Lei Rouanet. O outro lado, que é a maioria, vê quem está me atacando. Ao ver, já faz uma análise imediata, que eles estão errados e nós estamos certos.”

“O general Mourão, ao falar sobre a estrutura remuneratória, falou que o 13º é uma jabuticaba. Nesse momento, não podemos dar margem para o inimigo. O PT usa pequenos detalhes para dizer que eles estão preocupados com os eleitores, não os demais.”

“O combate à corrupção é escolher os ministros sem indicação política. Foi o que aconteceu na Petrobras.”

“O estatuto do desarmamento deu a certeza ao bandido que não vai encontrar ninguém armado. Tem um projeto em legitima defesa da vida e do patrimônio você responde mas não tem punição. Vamos mudar o código penal para dar retaguarda jurídica.”

“O Palocci já vinha colaborando. Ele conta as entranhas do poder. Não tem como fugir da verdade. Parabéns ao Palocci, quem não erra como ser humano. A corrupção está colada no PT. O PT não deu certo, traiu os trabalhadores. Tinha um projeto de poder, como o próprio José Dirceu disse há pouco. Se estivesse na minha boca seria uma explosão.”

“Ser presidente do Brasil com tantos problemas, eu sei da responsabilidade. Muitos dizem que eu posso não ser um bom presidente, mas o necessário para o momento. Mais difícil que a corrupção é a ideologia. Até hoje o PT defende o regime de Maduro. Temos que dar um pé no traseiro do socialismo e do comunismo.”

“Se o PT ganhar as eleições, lamento, mas vou respeitar. O apelo que eu faço àqueles que acreditam em mim. Vamos votar. O PT todo mundo já conhece o que nos espera. Comigo, a certeza é que eu não serei mais um capitão do Exército, mas um soldado do país.”