Exército decide não punir ex-ministro Pazuello por ato com Bolsonaro, no Rio de Janeiro

O comando do Exército anunciou nesta quinta-feira (3) que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, não sofrerá punição por ter participado de um ato com o presidente Jair Bolsonaro no RJ

O comando do Exército anunciou nesta quinta-feira (3) que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, não sofrerá punição por ter participado de um ato com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro em 23 de maio.

Presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que foi “perdoado” pelo Exército Brasileiro- Foto: Igo Estrela/MetrópolesPresidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que foi “perdoado” pelo Exército Brasileiro- Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Em nota, a justificativa é que “o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general. Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do general Pazuello. Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado”, diz a nota.

A participação de Pazuello no ato causou um mal-estar dentro das Forças Armadas uma vez que manifestações políticas são vedadas a integrantes da ativa. Houve um grande debate interno sobre uma eventual punição ao general e a defesa de que ele precisa ir para a reserva, caso queira seguir uma carreira política.

Nota

Acerca da participação do General de Divisão EDUARDO PAZUELLO em evento realizado na Cidade do Rio de Janeiro, no dia 23 de maio de 2021, o Centro de Comunicação Social do Exército informa que o Comandante do Exército analisou e acolheu os argumentos apresentados por escrito e sustentados oralmente pelo referido oficial-general.

Desta forma, não restou caracterizada a prática de transgressão disciplinar por parte do General PAZUELLO.

Em consequência, arquivou-se o procedimento administrativo que havia sido instaurado.

+

Política Brasileira