Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Fusão do PSL e DEM começa dia 21 e novo partido lançará candidato à Presidência

Aliados de Bivar e ACM Neto confirmam fusão. Nome da legenda e candidato ainda serão definidos

O PSL e o DEM vão realizar a fusão dos partidos, e a primeira reunião, com este anúncio, será dia 21 de setembro, na próxima terça-feira. O novo partido ainda não tem nome, mas já nasce gigante como a maior bancada do Congresso Nacional. E vai ter candidato a presidência da República, informam contatos dos presidentes Luciano Bivar (PSL) e ACM Neto (DEM).

Dentro das duas legendas, há quem defenda manter o nome PSL, e há quem indique que uma pesquisa nacional com agência contratada poderá definir a sigla.

O foco é formatar um partido de Centro é apresentar o candidato da terceira via na disputa do ano que vem à Presidência, contra Jair Bolsonaro (ainda sem partido) e Lula da Silva (PT). O nome mais apontado, hoje, é do presidente do Senado, o advogado mineiro Rodrigo Pacheco (DEM).

Com a fusão, o novo partido nascerá com 80 deputados federais e 8 senadores. ACM Neto, presidente do DEM, será candidato ao Governo da Bahia. Ele evita comentar o assunto. Luciano Bivar, presidente do PSL, está no exterior, em férias, e volta para a reunião.

Há um desafio para ambos os partidos: a verticalização ainda é um obstáculo. Existem os prós e contra Bolsonaro dentro das duas legendas, em Brasília e nos diretórios estaduais. O DEM, por exemplo, tem dois ministros no Governo: Onyx Lorenzoni (Trabalho) e Tereza Cristina (Agricultura). Eles terão de deixar o novo partido caso o grupo lance candidato ao Planalto.

O PSL tem hoje 76 deputados estaduais, 90 prefeitos e 1.180 vereadores. O DEM destaca seus dois governadores (Ronaldo Caiado, em Goiás, e Mauro Mendes, no Mato Grosso), que não fazem objeção à fusão.

Bolsonaro na ONU

O presidente Jair Bolsonaro vai abrir presencialmente a Assembleia Geral da ONU (conforme antecipamos), e agora decidiu levar também a primeira-dama Michelle Bolsonaro. O casal desembarca em Nova York no próximo domingo (19) e fica até a terça-feira (21) à tarde. Embarca de volta logo após o discurso dele. O Palácio do Planalto não responde há mais de uma semana se Bolsonaro vai se vacinar para a viagem.

Duas mãos

O discurso do presidente está em elaboração na mesa do chanceler Carlos Alberto França, que deve acompanhá-lo na viagem.

Susto

O avião com staff presidencial para a precursora, que vai preparar a agenda, teve problemas técnicos neste domingo e aterrissou em Boa Vista (RR). Toda a equipe foi vacinada previamente para entrada nos Estados Unidos.

Alô, me ajuda?

Relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros telefonou para o advogado Antônio Carlos de Almeida, o Kakay, pedindo orientações para o relatório final. “Rearfirmei a importância de propor mudanças legislativas, para retirar das mãos do Presidente da Câmara e do PGR os poderes que definem se o relatório será arquivado ou se o Plenario da Câmara terá a palavra sobre o possível crime de responsabilidade”.

Outro lado da Praça

O deputado federal Diego Andrade apresentou uma PEC que limita o mandato de ministro do STF a 10 anos – hoje há aposentadoria compulsória aos 75 anos. Deputados e senadores continuam com quantos mandatos quiserem.

GT dos Jogos

O Grupo de Trabalho criado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, para avaliar projetos de legalização dos jogos, nasce dividido – no modelo a ser aprovado – embora todos trabalhem pela legalização.

Várias apostas

Existem parlamentares que defendem a legalização dos cassinos urbanos e turísticos; outros, apenas os resorts integrados com cassinos; e há os que acreditam que o mais adequado é a legalização de todas modalidades de jogos como bingo, videojogo ou BR1, jogo do bicho e jogos online.

JK redivivo

O Memorial JK em Brasília completou 40 anos e 119 anos do nascimento de Juscelino Kubitschek. O Memorial é administrado pela neta Anna Christina Kubitschek e mantido pelas Organizações Paulo Octavio.

Loading...