Juíza pede relatório de tornozeleira para monitorar passos de Flordelis

Decisão da Justiça, obtida com exclusividade pelo Metrópoles, também nega liberdade para outros acusados pela morte do pastor Anderson Gomes

A Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária) precisa enviar um relatório à Justiça do Rio de Janeiro, no prazo de até cinco dias, sobre o monitoramento da tornozeleira eletrônica que a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ) usa há quatro meses. A parlamentar é proibida de sair à noite.

Dois filhos de Flordelis são acusados de ter executado Anderson – Foto: Reprodução/Metrópoles/NDDois filhos de Flordelis são acusados de ter executado Anderson – Foto: Reprodução/Metrópoles/ND

“Seja oficiada à Seap requisitando que em 5 dias remeta relatórios de monitoração da tornozeleira eletrônica utilizada pela ré Flordelis desde 08.10.2020 (…) esclarecendo se foi apresentada justificativa administrativa para eventuais notícias de violações, desligamentos e esgotamento de bateria, bem como informando a duração da respectiva bateria”, afirmou a juíza da 3ª Vara Criminal de Niterói, Nearis Arce, em um dos trechos da decisão.

Foi decidido ainda, que três dos 10 presos acusados em um dos processos sobre o assassinato do pastor Anderson Gomes devem continuar na cadeia. Marido de Flordelis, denunciado como mandante do crime, o religioso foi executado com mais de 30 tiros em junho de 2019.

Nearis rejeitou os pedidos de liberdade de Adriano dos Santos Rodrigues e Andrea Santos Maia. A magistrada também negou o pedido de prisão domiciliar de Simone dos Santos Rodrigues. Em outra ação, dois filhos de Flordelis são acusados de ter executado Anderson.

+

Política Brasileira