Rodrigo Constantino

Ele se define como "um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda politicamente correta".


Limites que não se ultrapassam

A esquerda pode jogar futebol com uma réplica da cabeça do presidente à guisa de bola que é “arte”, mas se um canal de humor tirar sarro de esquerdistas é “crime de opinião”

Por que nós de direita condenamos a esquerda? Por vários motivos, claro, entre eles o fato de que o esquerdismo não funciona, produz resultados sofríveis na melhor das hipóteses, e caos na mais provável delas.

Outro aspecto é a canalhice de muito esquerdista, que mascara o ódio que sente com um manto de bondade, como se todo seu rancor fosse uma busca pela “justiça social”. São hipócritas, via de regra.

Liberais clássicos e conservadores, por sua vez, defendem princípios isonômicos, valores básicos que não podem ser negociados. Vejamos o caso da liberdade de expressão: a direita defende que todos sejam livres para se manifestar, e os critérios para restringir de alguma forma a fala, sempre uma última opção, devem ser os mesmos para todos.

Coletivo de arte utilizou réplica de cabeça de Bolsonaro como bola de futebol em pelada – Foto: Reprodução/Instagram/NDColetivo de arte utilizou réplica de cabeça de Bolsonaro como bola de futebol em pelada – Foto: Reprodução/Instagram/ND

Não pode incitar crimes, por exemplo. Mas isso vale para todos de maneira exatamente igual. Não é o que prega a esquerda.

Como ela se enxerga como sendo do “bem”, e seus adversários como sendo do “mal”, não se importa de usar a coerção e a censura para impedir o “discurso de ódio”, mesmo mantendo uma definição vaga para isso.

Discurso de ódio, então, vira tudo aquilo que a esquerda não gosta, que não se encaixa no politicamente correto.

É dessa forma que um esquerdista pode defender a morte do presidente e isso virar liberdade de expressão, mas se algum direitista fizer o mesmo em relação a um político de esquerda será “cancelado”.

A esquerda pode jogar futebol com uma réplica da cabeça do presidente à guisa de bola que é “arte”, mas se um canal de humor tirar sarro de esquerdistas é “crime de opinião”. O duplo padrão salta aos olhos.

E isso gera revolta genuína. Vários democratas americanos, por exemplo, apoiam movimentos violentos como Antifa e Black Lives Matter, que tocaram o terror nas cidades.

Mas quando houve a invasão do Capitólio, culparam Trump pelos atos daqueles indivíduos, sendo que ele não defendeu a invasão em momento algum. A esquerda tem um salvo-conduto para tudo, e isso irrita muito. Mas isso não pode nos impedir de condenar quem agiu exatamente como os baderneiros da esquerda.

É aqui que chego ao caso do dono do restaurante que ofereceu um ano de churrasco grátis para quem matasse João Doria. Ele chegou a ser preso e foi merecido. Ultrapassou todos os limites. Desejar a saída do governador é absolutamente legítimo.

Desejar sua morte já me parece bem errado. E não importa que o colunista da Folha faça o mesmo em relação a Bolsonaro. Mas o que o sujeito fez foi ainda pior: ele ofereceu uma recompensa, ou seja, colocou-se de fato como um assassino querendo contratar um matador de aluguel.

É crime. Não há chiste que justifique isso. A direita precisa combater a esquerda, não se tornar odienta como ela.