Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Luciano Hang sobre CPI da Pandemia: Fui indiciado pelo Renan Calheiros, olha que nível tô

Empresário e ativista político de Santa Catarina comentou o relatório final da CPI da Pandemia no Senado; Jair Bolsonaro, outro dos indiciados, disse "não ter culpa de absolutamente nada"

Alvo do relatório final da CPI da Pandemia no Senado, o empresário e ativista político Luciano Hang ironizou o senador Renan Calheiros (MDB-AL), autor do documento.

“Já pensou chegar em uma roda de amigos e dizer: ‘fui indiciado pelo Renan Calheiros, olha que nível eu tô’”, disse nesta quarta-feira (20), em transmissão ao vivo de Brusque. “Ser indiciado pelo Renan Calheiros é um elogio”, completou.

Luciano Hang em depoimento ao Senado – Foto: Edilson Rodrigues/Divulgação/NDLuciano Hang em depoimento ao Senado – Foto: Edilson Rodrigues/Divulgação/ND

Jair Bolsonaro é indiciado por Renan Calheiros

No documento, de 1.180 páginas, Renan pede indiciamentos envolvendo 68 pessoas e empresas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A votação do relatório ficou marcada para a próxima terça-feira (26). Após essa etapa, as conclusões serão encaminhadas aos órgãos de controle, que poderão abrir processos sobre os supostos crimes apontados.

Renan Calheiros (à dir.) lendo o relatório final da CPI, nesta quarta-feira (20) – Foto: Edilson Rodrigues/Divulgação/NDRenan Calheiros (à dir.) lendo o relatório final da CPI, nesta quarta-feira (20) – Foto: Edilson Rodrigues/Divulgação/ND

Renan propõe que Bolsonaro seja responsabilizado pelos seguintes delitos: epidemia com resultado morte; crimes de responsabilidade por proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo; crime de responsabilidade pela violação de direito social; infração de medida sanitária preventiva; charlatanismo; incitação ao crime; falsificação de documento particular; emprego irregular de verbas públicas; prevaricação; e crimes contra a humanidade nas modalidades extermínio, perseguição e outros atos desumanos.

Presidente diz “não ter culpa de absolutamente nada”

O chefe do Executivo fez novos ataques ao colegiado e disse “não ter culpa de absolutamente nada”.

Presidente Jair Bolsonaro em cerimônia nessa terça-feira (19) no Palácio do Planalto – Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil/NDPresidente Jair Bolsonaro em cerimônia nessa terça-feira (19) no Palácio do Planalto – Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil/ND

“Como seria bom se aquela CPI estivesse fazendo algo de produtivo para o nosso Brasil. Sabemos que fizemos a coisa certa desde o primeiro momento”, acrescentou o presidente, sobre as medidas adotadas pelo governo durante a pandemia, criticadas por especialistas. Em seguida, Bolsonaro fez nova defesa do chamado “tratamento precoce” contra a covid, patrocinado pelo governo mas com ineficaz para vencer a doença, como já provou a ciência.

O chefe do Executivo ainda voltou a dizer que o governo não tem qualquer caso de corrupção, sem considerar as denúncias de irregularidades na compra de vacinas expostas pela CPI, e repetiu que não vai adotar o chamado “passaporte da vacina” no Brasil.

Com informações do Estadão Conteúdo

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...