Rodrigo Constantino

Ele se define como "um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda politicamente correta".


Negacionistas palhaços

A “ciência” dessa CPI é sequer escutar especialistas do outro lado, enquanto endeusam impostores que não trataram um único paciente

CPI circense recebeu médicos de verdade na sexta-feira, que apresentaram os vários estudos favoráveis ao uso de tratamentos imediatos para a Covid.

Presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz – Foto: Jefferson Rudy/ Agência SenadoPresidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz – Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado

Ciência se faz com estudos, perguntas, debates, não com slogans prontos, apelo à autoridade (de entidades com reputação chamuscada) ou rótulos que depreciem os “dissidentes”. E foi justamente por receber médicos de verdade que os picaretas se retiraram do ambiente.

Num ato vergonhoso para uma CPI já patética no nascedouro, o relator Renan Calheiros, o presidente Omar Aziz e o vice-presidente Randolfe Rodrigues deixaram o recinto em “protesto”. A assessoria de imprensa desse gabinete paralelo do lulismo, disfarçada de jornalismo, logo saiu em defesa dos palhaços vermelhos.

A Globo usou a seguinte manchete: “Renan se recusa a fazer perguntas a médicos pró-cloroquina e deixa sessão”, colocando logo abaixo o subtítulo: “Comissão faz audiência pública com especialistas que defendem tratamento precoce para o novo coronavírus, cuja ineficácia já foi comprovada”.

Má-fé ou ignorância, o fato é que essa última declaração é falsa e anticientífica, pois ignora como ocorre o processo da ciência. O máximo que poderia ser dito é que a eficácia ainda não foi comprovada com o padrão ouro, o que vale para inúmeros outros remédios amplamente utilizados para diversos tratamentos.

A Folha de SP foi na mesma linha: “Senadores abandonam depoimento de defensores de tratamento ineficaz contra Covid”. Diogo Mainardi, do Antagonista, agiu exatamente como um assessor de imprensa de Renan Calheiros e escreveu: “Em protesto contra Bolsonaro, Renan recusa-se a questionar médicos na CPI”. Protesto contra Bolsonaro? O relator não tinha é condições de debater ou argumentar com os médicos e fez um show patético de covardia, isso sim!

A “ciência” dessa CPI é sequer escutar especialistas do outro lado, enquanto endeusam impostores que não trataram um único paciente e não possuem qualquer trabalho sério publicado sobre o assunto. Mas estas foram tratadas como a “voz da ciência” e um “feixe de luz” pelos embusteiros que politizaram desde o começo essa pandemia mirando apenas em dividendos eleitorais.

Em vez de levar a sério uma figura como Renan Calheiros só por fins políticos, como faz a mídia em geral, a Gazeta do Povo mostrou independência e imparcialidade numa reportagem que relembra quem é o sujeito em questão.

Sua ficha corrida é enorme, e olha que era um resumo! Mas nossos militantes disfarçados de jornalistas têm tratado Renan como alguém sério, preocupado com vidas e porta-voz da ciência. O mesmo que saiu da sala na presença de médicos. São uns negacionistas palhaços mesmo, esses vagabundos que comandam essa CPI ridícula.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...