Guilherme Fiuza

Jornalista e escritor que iniciou a carreira em 1987, no "Jornal do Brasil". Entre outras redações, trabalhou em "O Globo" e revista "Época". Escreve também sobre política para a "Gazeta do Povo".


O perigo é você

Os ânimos andam inflamados. Se alguém te faz uma provocação mais ácida você pode ter uma reação sem precedentes

– Por que você me trancou no banheiro?

– Pra você não falar besteira na frente dos outros.

Pessoa trancada no banheiro – Foto: PixabayPessoa trancada no banheiro – Foto: Pixabay

– Mas eu não falei besteira nenhuma. Aliás, eu não falei nada.

– Não falou porque eu te tranquei no banheiro.

– Ok. Então pode me destrancar agora?

– Não.

– Por quê?

– Pra você não falar besteira na sala.

– Mas eu não tenho nenhuma intenção de falar besteira na sala.

– Acabamos de discutir um assunto polêmico aqui fora e deu uma discussão terrível.

– Então o que adianta você me manter trancado, se já deu problema?

– Na dúvida prefiro te deixar fechado aí.

– Que dúvida? Você diz isso com base em quê?

– Com base na minha decisão de manter a casa em harmonia.

– Mas já saiu briga!

– É, mas se eu não tivesse te trancado no banheiro seria pior.

– Como assim?

– Poderia ter saído tapa.

– Como você sabe?

– Porque eu sei que te trancar no banheiro diminui os contatos e evita conflitos.

– Mas eu nunca bati em ninguém.

– Tudo tem a primeira vez.

– Por que você acha que eu iria às vias de fato com alguém agora pela primeira vez na vida?

– Não é questão do que você já fez. É questão do que você pode vir a fazer.

– Por que eu subitamente viria a fazer isso?

– Não sei. Mas na dúvida, melhor te prender no banheiro.

– Continuo sem entender o que eu fiz que te colocou em dúvida.

– Não é necessariamente você. Saia desse personalismo. Existe um mundo à sua volta. Os ânimos andam inflamados. Se alguém te faz uma provocação mais ácida você pode ter uma reação sem precedentes. No fundo estou te protegendo.

– Estou com fome.

– Bebe água.

– Água não mata a fome.

– Pra que matar? Que pensamento violento é esse? Viu como você está precisando ser contido?

– Querer matar a fome é um pensamento violento?

– As palavras denunciam as intenções. Eu notei o tom agressivo com que você pronunciou o verbo matar. Ficou clara a sua falta de empatia.

– O que eu preciso fazer pra mostrar minha empatia?

– Calar a boca.

– O silêncio é empático?

– No seu caso, sim. Melhor que falar besteira e contribuir com a onda de ódio.– Quando é que eu vou poder sair daqui?

– Quando o perigo passar.

– E como é que eu vou saber se o perigo passou?

– Você não precisa saber de nada.

– Não?

– Não. Quem te trancou fui eu, quem vai saber a hora de te destrancar sou eu.

– E o perigo?

– O perigo é você.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.