Moacir Pereira

moacir.pereira@ndmais.com.br Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


O racha no MDB de Santa Catarina

Dário Berger promoveu reunião e lideranças querem reunião da Executiva Estadual

Durante reunião realizada na casa do senador Dário Berger, lideranças do MDB decidiram apelar ao presidente estadual, deputado Celso Maldaner, para convocação urgente de uma reunião da Executiva Estadual.  Objetivo: analisar a situação crítica com o partido rachado em Santa Catarina em função de posições divergentes sobre a indicação dos candidatos majoritárias nas eleições de 2022.

Senador quer reunir lideranças para avaliar crise no MDB – Foto: DivulgaçãoSenador quer reunir lideranças para avaliar crise no MDB – Foto: Divulgação

Participaram da reunião os ex-governadores Eduardo Moreira e Paulo Afonso Vieira, os ex-deputados Mauro Mariani e Edinho Bez, os ex-prefeitos Ronério Heidercheidt(Palhoça) e Elizeu Matos(Lages) eo vice-prefeito de São José, Michel Schlemper.

As divisões internas agravaram-se com as notícias sobre a reunião ocorrida na semana passada em Brusque.  A Executiva do MDB divulgou uma nota informando que naquele encontro teria sido selado um acordo político em torno das candidaturas de Antidio Lunélli para governador, Celso Maldaner de vice e Dário Berger à reeleição.

O comunicado foi imediatamente desmentido pelo senador, que contestou a existência do tal pacto. E manteve a mesma posição, invocando testemunho de outros líderes presentes.  O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt(Podemos), que estava presente, confirmou ontem a versão de Berger.

Nos últimos dias, Maldaner e Berger, trocaram farpas com críticas políticas contundentes sobre as divisões no partido, ampliadas pelas notícia sobre o suposto “acordo”de Brusque.

Na conversa da casa do senador os participantes admitiram que o MDB atravessa uma conjuntura complexa, com várias correntes, divergências internas e está fragilizado para as eleições do próximo ano.

O senador Dário Berger foi o mais crítico: “O MDB está sem rumo, sem liderança e sem aglutinação para concorrer ao governo nas proximas eleições.  Precisa se reunir para avaliar a situação, definir critérios e decidir sobre candidatos ao governo em 2022”.

*

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...