Passeio de moto de Bolsonaro reúne apoiadores no Rio de Janeiro

Concentração ocorreu às 8h na zona Oeste da cidade. Trajeto terminou com fala aos apoiadores: "Meu Exército Brasileiro jamais irá às ruas pra manter vocês dentro de casa"

presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reuniu apoiadores para um passeio de moto neste domingo (23) no Rio de Janeiro.

A concentração ocorreu às 8 horas no Parque Olímpico da Barra, zona Oeste da cidade. Bolsonaro, que chegou de helicóptero, promoveu aglomeração, não usou máscara e recebeu gritos de “mito”. Duas horas depois, iniciou-se o trajeto.

Bolsonaro com apoiadores no Rio de Janeiro – Foto: Reprodução/Redes SociaisBolsonaro com apoiadores no Rio de Janeiro – Foto: Reprodução/Redes Sociais

O passeio mobilizou a equipe de segurança do GSI (Gabinete de Segurança Institucional). Ao todo, mil policiais militares de quatro batalhões do Rio atuam no esquema de segurança. Até às 10h25, apesar dos reflexos no trânsito, nenhum incidente havia sido registrado.

Fala rápida encerrou passeio

Acompanhado pelo ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e por pelo menos mais dez apoiadores – todos eles sem máscaras e sobre um carro de som apertado -, Bolsonaro discursou no final do trajeto, no Aterro do Flamengo.

Ele criticou prefeitos e governadores que decretaram confinamento durante a pandemia e afirmou que jamais colocará o exército nas ruas para fazer lockdown.

“Eu lamento cada morte no Brasil, não importa a motivação da mesma. Mas nós temos que ser fortes, temos que viver e sobreviver”, disse o presidente, que em seguida criticou medidas de distanciamento social.

“Desde o começo eu disse que tínhamos dois grandes problemas: o vírus e o desemprego. Muitos governadores e prefeitos simplesmente ignoraram a grande maioria do povo brasileiro, e sem qualquer comprovação científica, decretaram lockdown, confinamento e toque de recolher”, afirmou o presidente. Estudos já mostraram, contudo, que o lockdown diminui a chance de transmissão do coronavírus.

E concluiu: “Fique bem claro: o meu Exército Brasileiro jamais irá às ruas pra manter vocês dentro de casa”, prosseguiu o presidente, descartando a hipótese de em algum momento decretar medidas de isolamento.

Posse no Equador

Bolsonaro embarca ainda neste domingo, às 18h, para o Equador, onde participará da posse do presidente de direita eleito Guilherme Lasso. O evento está marcado para a segunda-feira (24).

A ida de Bolsonaro ao Equador é estratégica. Depois da derrota de Maurício Macri na Argentina e da direita perder força no Chile, Lasso é o primeiro líder do mesmo campo ideológico do presidente brasileiro a ganhar uma disputa presidencial na América do Sul.

A posse de Guillhermo Lasso será na Assembleia Nacional do Equador, quando o atual presidente, Lenín Moreno, deixa o cargo. Depois da posse, Bolsonaro irá a um almoço dos chefes de Estado e retorna ao Brasil. A previsão é desembarcar em Brasília no início da madrugada de terça-feira (25).

*Com informações de Portal R7 e Estadão Conteúdo. 

+

Política Brasileira

Loading...