Pazuello pretende antecipar imunização de professores

Ministro da Saúde participou de reunião com a Frente Nacional dos Prefeitos nesta sexta e também falou sobre ajustes na estratégia de vacinação

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, revelou que estuda colocar os professores como um dos grupos prioritários do Programa Nacional de Imunização a partir do mês de março. Ainda não se sabe se a vacinação será estendida a todos os profissionais da educação ou somente aos docentes.

De acordo com Pazuello, a intenção é trazer a vacinação para março, já que muitas redes de educação vão começar o retorno ainda em fevereiro.

A Frente Nacional de Prefeitos reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, o que representa todas as capitais, 61% da população e 74% do PIB do país – Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil; /Agência Brasil/Divulgação/ND

A declaração do ministro foi feita durante uma reunião aos dirigentes da FNP (Frente Nacional dos Prefeitos), nesta sexta-feira (19).

O titular da pasta federal também revelou que a estratégia de vacinação vai sofrer ajustes a partir do dia 24 de fevereiro. Com a nova remessa de vacinas que deve chegar no Brasil entre os dias 24 e 28 de fevereiro, a ideia do ministério é aplicar, inicialmente, apenas uma dose do imunizante em cada brasileiro.

“Com a chegada de 4,7 milhões de novas vacinas, a imunização será em 4,7 milhões de brasileiros – não a metade, como estava acontecendo até então”, declarou a FNP. A organização também comunicou que o ministério garante a produção de doses suficientes para a segunda aplicação.

Compra de vacinas

Os prefeitos Rafael Greca (Porto Alegre), Emanuel Pinheiro (Cuiabá) e Bruno Reis (Salvador) informaram a Pazuello sobre o interesse em adquirir a vacina por conta dos próprios municípios, e pediram apoio ao ministro.

O ministro pediu paciência e assegurou que, em cerca de 15 dias, o país estará produzindo o imunizante “a pleno”. “Produzindo a pleno, é vacina na veia todos os dias”, concluiu o ministro.

Segundo o presidente da FNP, Jonas Donizette, Pazuello pediu ainda que laboratórios que tenham ofertas de vacinas entrem em contato direto com o ministério. Assim, a pasta cuidará da distribuição aos estados e municípios, depois das possíveis negociações.

Outros pontos

Além da campanha de vacinação, os prefeitos discutiram o pagamento de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do governo federal aos municípios. Segundo Donizette, o governo federal destacou que irá pagar pelo funcionamento dos leitos de UTI durante os meses de janeiro e fevereiro.

A Frente Nacional de Prefeitos reúne as 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, o que representa todas as capitais, 61% da população e 74% do PIB do país.

+

Política Brasileira