Prefeito de SP, Bruno Covas decide se licenciar do cargo devido a câncer

Um ofício com o pedido de afastamento por 30 dias será enviado à Câmara Municipal de São Paulo na segunda-feira (3)

Em tratamento contra um câncer, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, de 40 anos, decidiu se licenciar do cargo por 30 dias. A informação foi confirmada por assessores na tarde deste domingo (2).

Prefeito de SP, Covas decide se licenciar do cargo por 30 dias – Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/NDPrefeito de SP, Covas decide se licenciar do cargo por 30 dias – Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil/ND

“Com o surgimento de novos focos, o Prefeito de São Paulo precisará de dedicação integral ao tratamento e entende que não será compatível com as suas responsabilidades e compromisso com a cidade e os paulistanos”, diz a assessoria, em nota.

Um ofício com o pedido de afastamento por 30 dias será enviado à Câmara Municipal de São Paulo na segunda-feira (3).

Desde outubro de 2019, o prefeito está em tratamento contra um câncer na cárdia, órgão de transição entre estômago e esôfago, com metástase no fígado.

A última internação de Covas durou 12 dias. No período, o prefeito passou por novos exames de rotina e descobriu o surgimento de novos pontos do câncer, que atingiram o fígado e os ossos.

Devido ao agravamento, ele precisou ficar internado e recebeu tratamento oncológico com um novo protocolo de quimioterapia em conjunto com imunoterapia.

Covas chegou a receber alimentação complementar por via intravenosa e apresentou acúmulo de líquidos ao redor do pulmão e no abdômen, o que prolongou o tratamento.

Vice assume

Quem assume o cargo é o vice, Ricardo Nunes (MDB). Durante a corrida pela prefeitura em 2020, Nunes foi um dos principais alvos de críticas à campanha do colega tucano até novembro passado.

Filiado ao MDB desde os 18 anos, Ricardo Nunes é empresário e foi vereador de São Paulo pelo partido em duas oportunidades: de 2013 a 2016 e de 2017 a 2020. No ano passado, foi eleito vice-prefeito na chapa de Bruno Covas (PSDB) pelo comando executivo da capital paulista.

Nunes foi presidente da Aeseul (Associação Empresarial da Região Sul) e fundou a Adesp (Associação das Empresas Controladoras de Pragas do Estado de São Paulo) e a Abrafit (Associação Brasileira das Empresas de Tratamento Fitossanitário e Quarentenário).

+

Política Brasileira