Quem é Ricardo Nunes, substituto de Covas como prefeito de SP

Vice-prefeito foi alvo de denúncias durante campanha de 2020, como serviços sem licitação em creches e agressão contra mulher

Com a licença de 30 dias do prefeito Bruno Covas (PSDB), internado novamente neste domingo (2) para tratamento médico de câncer, o vice, Ricardo Nunes (MDB), assume o cargo do executivo na cidade de São Paulo. Durante a campanha pela prefeitura em 2020, Nunes foi um dos principais alvos de críticas e denúncias.

Nesta segunda (3), Covas foi transferido para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Sírio Libanês e intubado após a descoberta de um sangramento no estômago.

Vice Ricardo Nunes substitui o prefeito Bruno Covas em licença médica – Foto: Reprodução/NDVice Ricardo Nunes substitui o prefeito Bruno Covas em licença médica – Foto: Reprodução/ND

Na época, candidatos adversários e eleitores denunciaram nas redes sociais sobre a participação da empresa da família do vice-prefeito em licitação. Ele teria recebido R$ 50 mil de creches conveniadas com a prefeitura para a prestação de serviços em 2019.

A Nikkey Serviços, empresa dirigida pelas sócias Regina Carnovale Nunes, mulher do então vereador, e Mayara Barbosa Reis Nunes, sua filha, recebeu por serviços de dedetização dos imóveis onde funcionam as oito creches envolvidas no caso.

As unidades de educação são de responsabilidade de aliados políticos do prefeito em exercício. As instituições são dirigidas pela Acria (Associação Amigos da Criança e do Adolescente), cuja presidente é Eliana Targino, ex-funcionária de Nunes, e José Cleanto Martins, vice-presidente, pai de uma assessora do parlamentar.

À época, por meio de nota oficial, o candidato a vice-prefeito negou favorecimento e alegou que os valores cobrados pela empresa para a prestação do serviço foram inferiores aos praticados pelo mercado. Segundo ele, seria uma forma de ajudar as creches. Além disso, afirmou que a Acria não era dirigida por aliados.

Caso de agressão à mulher

Durante a disputa pela prefeitura, outra crítica a Ricardo Nunes foi a respeito de um boletim de ocorrência que sua esposa
Regina fez em 2011. No documento, ela alegou ter sido vítima de violência doméstica, ameaça e injúria.

Regina afirmou, porém, que não se lembrava do registro do boletim há dez anos. Ela e o marido negaram as agressões.

Trajetória

Filiado ao MDB desde os 18 anos, Ricardo Nunes é empresário e foi vereador de São Paulo pelo partido em duas oportunidades: de 2013 a 2016 e de 2017 a 2020. No ano passado, foi eleito vice-prefeito na chapa de Bruno Covas (PSDB) pelo comando executivo da capital paulista.

Nunes foi presidente da Aeseul (Associação Empresarial da Região Sul) e fundou a Adesp (Associação das Empresas Controladoras de Pragas do Estado de São Paulo) e a Abrafit (Associação Brasileira das Empresas de Tratamento Fitossanitário e Quarentenário).

+

Política Brasileira