Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


Rompimento de ACM Neto com Maia vem de pressão do DEM da Bahia

No centro do embate está o deputado federal Elmar Nascimento (BA)

O movimento de rompimento entre o presidente do DEM, ACM Neto (BA), e o ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), vem de uma pressão regional do partido na Bahia. No centro do embate está o deputado federal Elmar Nascimento (BA), apoiado por prefeitos, vice-prefeitos e vereadores de cidades importantes no Estado.

A base do parlamentar é imprescindível para o projeto de ACM, que pretende se eleger governador em 2022. Elmar estava entre os principais cotados para ser o candidato do grupo de Maia para sucedê-lo no comando da Câmara.

Maia, no entanto, rifou o deputado baiano e escolheu Baleia Rossi (MDB-SP). Inconformado, Elmar ameaçou romper com ACM Neto e minar o projeto do ex-prefeito de Salvador para 2022.

Para debelar o conflito em seu reduto eleitoral e preservar Elmar e sua aliança para 2022, ACM optou por boicotar Maia e adotar “neutralidade” na votação que elegeu o candidato do Palácio do Planalto, Arthur Lira (PP-AL).

ACM Neto dá de ombros para a especulada saída de Rodrigo Maia do DEM. Mas decidiu punir outros correligionários que deixarem o partido na esteira do ex-presidente da Câmara.

Folia

O movimento do derrotado Maia, no entanto, é visto mais como folia que reza feita. Trata-se da mesma fantasia que criou em torno de seu fictício poder de articulação na Câmara pró-Baleia. Por isso, insiste em protagonismo após deixar a vitrine do Congresso.

Desde terça-feira, as mãos de Rodrigo Maia voltaram a se reencontrar com a maçaneta de portas após quase cinco anos de distanciamento protocolar. É o primeiro duro golpe a quem deixa um trono em Brasília.

Eminência

O ministro Onyx Lorenzoni, “apagado” dessa decisão do DEM em deixar Rodrigo Maia na mão, teve papel fundamental nos bastidores para a “traição” partidária se confirmar na sucessão na Câmara.

Vacinas

Governadores de todo o país pressionam o Ministério da Saúde para viabilizar a compra direta de vacinas contra o Covid-19 para seus estados. O pedido vai ser reforçado amanhã, em reunião com o chefe da pasta, Eduardo Pazuello.

Em conversa recente com 20 governadores, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, sinalizou que as tratativas podem ser feitas diretamente via Instituto Butantan, responsável pela produção da vacina Coronavac, desenvolvida em parceria com o laboratório Sinovac.

Variante


Está sobre a mesa de Pazuello o ofício do ministro Benjamin Zymler, do Tribunal de Contas da União, intimando a pasta a informar, entre outros questionamentos, quais ações e iniciativas foram adotadas para identificação, acompanhamento, mapeamento e rastreamento de novas cepas variantes da linhagem do Covid-19.

Embargo

A Human Rights Watch enviou carta a todos os embaixadores da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) denunciando as “desastrosas” políticas ambientais do presidente Jair Bolsonaro. Após receber e analisar o documento, o comitê de política ambiental da OCDE decidiu cancelar a discussão sobre a entrada do Brasil no grupo, que estava marcada para amanhã, 9.

Desacreditada

O grupo Acredito, do qual fazem parte os deputados federais Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) e o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), diz que a nomeação da deputada Bia Kicis para presidir a CCJ representa um escárnio com a democracia: “Já desrespeitou repetidas vezes nossa Constituição”.