Cacau Menezes

Apaixonado pela sua cidade, por Santa Catarina, pelo seu país e pela sua profissão. São 45 anos, sete dias por semana, 24 horas por dia dedicados ao jornalismo


Segurança de mesário na eleição não tem a segurança que eles dizem

E ainda por cima não recebem pelo trabalho

Relator defende eleições em 15 e 29 de novembro – Foto: TSE/Divulgação

A justiça eleitoral informa que tomou todos os cuidados para prevenção contra o coronavírus, garantindo a segurança das pessoas que  trabalharão gratuitamente como mesários nas próximas eleições. Entretanto, ao concluir a informação, incentiva aqueles que não pertencem ao grupo de risco a serem mesários voluntários. Saliente-se ,em primeiro lugar, que segurança oferecida aos mesários é relativa, caso contrário, as pessoas que pertencem ao grupo de risco poderiam desempenhar a função de mesário. E uma vez que essa segurança não é uma garantia, todas as pessoas que pertencem ao grupo de risco não deveriam ser aconselhadas a não comparecerem às urnas para a eleição deste ano?
E por fim, diga-se que  o trabalho de mesário deveria ser remunerado, afinal os partidos políticos possuem um milionário fundo partidário que poderia ser utilizado para esse fim.