Esplanada

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994 e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio, entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.


TCU pode travar a privatização da Eletrobrás

O Tribunal de Contas da União está analisando o processo

O Tribunal de Contas da União está com a chave de um cofre gigante de Paulo Guedes, ministro da Economia. A privatização da Eletrobrás corre sério risco de atrasar, conforme revelou a Coluna do Mazzini na revista Isto É da última sexta (12). Ministros do TCU analisam o processo e já encontraram uma série de inconsistências. O Tribunal pode determinar que etapas sejam refeitas e, segundo uma fonte que acompanha o caso, não existe prazo de um desfecho para o aval da venda.

Doria passa 

O PSDB já dá como certo que o governador João Doria (SP) tem delegados suficientes para vencer as prévias no domingo e ser confirmado candidato a presidente pelo partido.

Vai.. pode ir..

Um sujeito precavido: O governador afastado Mauro Carlesse, do Tocantins, apeado do cargo pelo STJ, indicou o vice para representá-lo na COP 26 há duas semanas.

Dia do Fico

Prestes a tomar posse, o vice Wanderlei Barbosa, temeroso de perder o trono para o presidente da Assembleia, ficou em Palmas e nomeou um assessor para a viagem.

Interface

O PLN 18, aprovado no Congresso, que abriu fundo de R$ 16 milhões para investimentos em pesquisas, guardou R$ 764.966 para o Ministério da Justiça enviar equipe de seis servidores a Washington DC. Eles ficarão por dois anos, em missão de capacitação para aquisição de materiais e serviços na área de segurança pública

Direto da indústria

Serão direcionados para os EUA dois agentes da PF, dois da Rodoviária Federal, e dois servidores do ministério. Eles vão realizar estudos e interface para firmar parcerias direto com os fabricantes. O MJ espera economizar R$ 50 milhões, em futuras compras para as Forças Armadas e órgãos do Governo federal, abrindo mão de intermediários.

Revés

O provável revés na filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL soa como alívio para o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni. Ele também estava apalavrado com o partido comandado pelo mensaleiro Valdemar da Costa Neto, mas vai aguardar a decisão do chefe para a filiação a fim de disputar o Governo do Rio Grande do Sul em 2022.

Língua afiada

Onyx e Valdemar não se bicam desde a CPI dos Correios, em 2005, quando o atual ministro atuou como sub-relator. Os trabalhos da comissão resultaram na prisão e cassação de então deputados envolvidos no escândalo do mensalão do PT, entre eles Valdemar. No PL, Onyx teria – ou  terá – que morder muito a língua.

PSB & PV 

O PSB e o PV alinham uma federação partidária. O assunto é discutido pelos presidentes Carlos Siqueira (PSB) e José Penna (PV) -, e deputados. As conversas giram em torno das afinidades das duas legendas, como a defesa da democracia e uma agenda voltada para a igualdade, a sustentabilidade e a economia verde.

Federação

“Conversamos sobre unir forças progressistas para enfrentar este grave momento do País, e a ideia de federação pode incluir outros partidos com agendas em comum”, afirma Siqueira. Aprovada pelo Congresso, a nova regra permite que dois ou mais partidos formem federação por quatro anos nas esferas municipal, estadual e federal.

Homônimo apenas

Há na lista vermelha da Interpol um Allan dos Santos, mas é de sobrenome diferente do Lopes, o blogueiro bolsonarista ainda não detido e extraditado, com mandado de prisão.

Loading...