TRE/SC apresenta nova urna eletrônica em evento no Grupo ND

Presidente do Tribunal, desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann esteve ao lado de outros representantes do Tribunal e falou sobre as principais mudanças no pleito deste ano; confira

A menos de 100 dias para o primeiro turno das eleições de 2022, o Grupo ND sediou um evento na manhã deste sábado (2) com a presença de representantes do TRE/SC (Tribunal Regional Eleitoral) para apresentar as novidades e esclarecer as principais dúvidas sobre questões fundamentais para o pleito, como mudanças na legislação, novidades tecnológicas e urna eletrônica.

Representantes do TRE/SC apresentaram as novidades para as eleições de 2022 em evento no Grupo ND – Foto: Vanessa da Rocha/NDRepresentantes do TRE/SC apresentaram as novidades para as eleições de 2022 em evento no Grupo ND – Foto: Vanessa da Rocha/ND

Presidente do Tribunal, o desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann esteve acompanhado do Diretor-Geral, Gonsalo Agostini, Ribeiro, da Secretaria da Corregedoria Regional Eleitoral, Renata Fávere, do secretário judiciário, Maximiniano Sobral, e da Assessora de Comunicação Social, Ana Patricia Tancredo Gonçalves.

Segurança das urnas

As urnas eletrônicas que serão usadas nas Eleições 2022 passaram por algumas alterações importantes. Agora, elas serão acessíveis para o público ao longo de todo o período de recebimento dos dados pelo Tribunal.

O propósito principal é dar mais transparência ao processo como um todo. O Boletim de Urna emitirá um QR Code que pode ser escaneado pelos aparelhos celulares que têm câmera fotográfica por meio de um aplicativo, que será disponibilizado para o público em geral.

O aplicativo permite consultar informações sobre candidatos, pesquisar locais de votação e pontos de entrega da justificativa eleitoral, além de acompanhar, em tempo real, a apuração dos votos.

A tecnologia já tem manual e regramento na Justiça Eleitoral. O TRE de Santa Catarina está avaliando a utilização do mecanismo para as eleições de outubro.

Horário de votação unificado

Devido a extensão territorial, alguns estados possuem o fuso horário diferente da capital do país. Por isso, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Roraima, Mato Grosso e Pará terão a votação iniciada uma hora antes.

O Acre iniciará a votação duas horas mais cedo e Fernando de Noronha, uma hora mais tarde.

O objetivo é que o horário de início e encerramento seja unificado ao horário de Brasília, ou seja, assim que os TREs realizarem a captação das urnas e encaminhamento dos resultados, o TSE vai executar de forma única.

Dessa maneira não será mais necessário aguardar os resultados das votações nessas regiões.

Max Sobral, Ana Patrícia Tancredo , Leopoldo Bruggemann, Renata Fávere  e Gonsalo Agostini, do TRE/SC – Foto: Vanessa da Rocha/NDMax Sobral, Ana Patrícia Tancredo , Leopoldo Bruggemann, Renata Fávere  e Gonsalo Agostini, do TRE/SC – Foto: Vanessa da Rocha/ND

Fundo Eleitoral

Quanto ao Fundo Eleitoral para financiamento público de campanhas para os partidos, aprovado para 2022 em R$ 4,9 bilhões, o presidente do TRE/SC, desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann, defendeu que o uso de dinheiro público, ao invés de financiamentos empresariais como ocorria no passado, foi um avanço.

No entanto, citou o levantamento do Grupo ND, que apontou que o valor aprovado para este ano supera o PIB de 243 dos 295 municípios de Santa Catarina, e ponderou o alto repasse.

Os recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha serão distribuídos em: 2% igualmente entre todas as legendas, 35% para os que têm ao menos um representante na Câmara dos Deputados de acordo com a proporção de votos da última eleição, 48% divididos entre os partidos conforme proporção de representantes na Câmara, 15% divididos entre os partidos na proporção de representantes do Senado Federal.

As verbas do Fundo Eleitoral não utilizadas nas campanhas devem ser devolvidas ao Tesouro Nacional.

Federações partidárias

Outra novidade abordada no encontro foram as federações partidárias. Trata-se de uma modalidade para os partidos se unificarem com resoluções diferentes das já conhecidas coligações proporcionais.

O objetivo é permitir que siglas atuem em conjunto com um prazo de vigência mínimo de quatro anos. As legendas que se desligarem antes do cumprimento da data serão penalizadas.

Participe do grupo e receba as principais notícias
das Eleições 2022 na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Política Brasileira

Loading...