Visita de Bolsonaro a Joinville tem críticas ao STF, reivindicação de demandas e homenagem

Presidente desembarcou na cidade às 10h40 acompanhado dos deputados federais de Joinville Rodrigo Coelho (PSB) e Coronel Armando (PSL)

Na visita a Joinville nesta sexta-feira (6) o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), recebeu homenagem do Corpo de Bombeiros, conversou e tirou fotos com apoiadores, fez palestra em um almoço para um grupo de empresários e recebeu manifestos a favor de melhorias em rodovias federais.

O presidente desembarcou na cidade às 10h40 acompanhado dos deputados federais de Joinville Rodrigo Coelho (PSB) e Coronel Armando (PSL). Bolsonaro foi recepcionado pela vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido). Assim que desembarcou, o presidente fez questão de ir até o pátio e cumprimentar os eleitores que chegaram nas primeiras horas para garantir um bom lugar.

Bolsonaro desembarcou no aeroporto de Joinville às 10h40 – Foto: Thiago Bonin/NDTVBolsonaro desembarcou no aeroporto de Joinville às 10h40 – Foto: Thiago Bonin/NDTV

O presidente ficou durante alguns minutos recebendo o apoio e o carinho dos eleitores que gritavam “está proibido de sair da presidência”. O já tradicional grito de “mito” foi ecoado no aeroporto.

Após contato com o público, Bolsonaro saiu com sua comitiva até o Perini Business Park, onde almoçou com cerca de 300 empresários e políticos. Em um discurso ácido, o presidente voltou a criticar o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luis Roberto Barroso.

Bolsonaro discursou, recebeu reivindicações e continuou a agenda durante o dia – Foto: Divulgação/NDBolsonaro discursou, recebeu reivindicações e continuou a agenda durante o dia – Foto: Divulgação/ND

“Não ofendi nenhum ministro. Apenas falei a ficha do senhor Barroso, o defensor do terrorista Battisti, favorável ao aborto, à liberação das drogas, à redução da idade para estupro de vulnerável. Esse mesmo ministro votou no direito das amantes”, disparou o presidente.

Além disso, durante o discurso, Bolsonaro destacou diversas vezes que o STF “quer a volta da corrupção” e é o responsável pela impunidade. Em rota de colisão com o Supremo, Bolsonaro voltou a defender o voto impresso.

“Não exijo que acreditem em mim. Eu quero e desejo eleições limpas e democráticas, sem que meia dúzia de pessoas sem compromisso com a liberdade contem nossos votos em uma sala escura. Sem eleições limpas, (as eleições de 2022) já é uma fraude”, disse Bolsonaro.

Pedidos da região

Além do presidente, discursaram Adriano Silva (Novo), prefeito de Joinville, Marco Antonio Corsini, presidente da Acij (Associação Empresarial de Joinville), Mário Cezar Aguiar, presidente da Fiesc, e o senador Jorginho Mello (PL).

O prefeito apresentou o perfil de Joinville, evidenciando as virtudes e conquistas do município, e, ao fim do pronunciamento, sublinhou demandas históricas nas áreas da infraestrutura e habitação, por exemplo.

Prefeito de Joinville, Adriano Silva, durante discurso no Perini – Foto: Rogério da Silva / Prefeitura de JoinvillePrefeito de Joinville, Adriano Silva, durante discurso no Perini – Foto: Rogério da Silva / Prefeitura de Joinville

“Na infraestrutura, reforço dois grandes pedidos da nossa região, que são celeridade nas obras de duplicação da BR-280 e a ressignificação das marginais da BR-101 na região de Joinville. Nestes pontos, o apoio do governo federal é muito importante para a cidade”, destacou Adriano Silva.

A fala do presidente da Acij, Mário Antonio Corsini, foi no sentido de sensibilizar o presidente, ao abordar que o setor poderia ser mais ágil se fosse aliviado o custo Brasil. Ele citou ainda a necessidade das reformas estruturantes em andamento, em especial as reformas administrativa e tributária, sem aumento de impostos.

O prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, entregou uma carta de demandas a Bolsonaro. A principal solicitação, mais uma vez, foi maior aporte de recursos para as obras de duplicação da BR-280.

O secretário executivo da Acirs (Associação Empresarial de Rio do Sul), Cleber Stassun, entregou a Bolsonaro um manifesto público pela duplicação da BR-470 assinado por 121 organizações de todo o Vale do Itajaí. A intenção do documento é sensibilizar o presidente para encontrar uma solução e encerrar o impasse que se instalou na aplicação dos recursos que o Estado vai repassar para a obra federal.

O documento entregue a Jair Bolsonaro resume o imbróglio que a obra se tornou e fala da necessidade de definir o destino dos R$ 200 milhões repassados pelo Estado.

Entre os presentes estavam os senadores Jorginho Mello (PL), Esperidião Amin (PP) e Magno Malta (PL), o secretário nacional da pesca, Jorge Seif Júnior, os deputados estaduais Daniel Freitas (PSL), Darci de Matos (PSD), Rogério Peninha Mendonça (MDB), Angela Amin (PP) e Caroline de Toni (PSL), e o empresário Luciano Hang.

No local, o presidente do JEC, Charles Fischer, presenteou Jair Bolsonaro com uma camisa do time.

Homenagem

Após o almoço, Bolsonaro foi à sede do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, às 15h. O presidente foi recebido pela diretoria, comando e grupo da banda dos Bombeiros.

Homenagem dos bombeiros voluntários de Joinville – Foto: TV Brasil/Reprodução/NDHomenagem dos bombeiros voluntários de Joinville – Foto: TV Brasil/Reprodução/ND

No local, ele fez a entrega simbólica das chaves de dois caminhões que já estão em operação e foram doados pelo 62º Batalhão de Infantaria à corporação em fevereiro do ano passado. A Associação Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville entregou ao presidente a Ordem da Machadinha, comenda máxima da corporação, além de um diploma e uma medalha.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Política Brasileira

Loading...