Luis Ernesto Lacombe

Opinião contundente sobre o cenário político brasileiro. Escreve todas as sextas-feiras


Conclusão fatal

Só o delírio para explicar a devoção por regimes como o de Cuba, da Venezuela, da China...

O que dizer de quem acredita em promessas que não podem ser cumpridas? O mundo real é tão escancarado que é difícil compreender essa gente. Só o delírio para explicar a devoção por regimes como o de Cuba, da Venezuela, da China… Gente que não enxerga, ou faz questão de não ver. Gente sem informação, sem conhecimento, sem memória. Gente que sonha, ignorando os pesadelos que o socialismo, o comunismo, que essa porcariada toda impõe diariamente, e sem piedade, a quase dois bilhões de pessoas. É tão difícil assim entender que já não deu certo, que nunca dará?

Presidente da República Popular da China, Xi Jinping – Foto: Alan Santos/PR/NDPresidente da República Popular da China, Xi Jinping – Foto: Alan Santos/PR/ND

Nenhum avanço econômico pode estar ligado à falta de liberdade. Não há como defender uma ditadura, não importa qual seja. Não há como defender o Partido Comunista Chinês. Danem-se os crescimentos recordes do PIB, se o ar que se respira é denso, é tenso, se todo passo é vigiado. Quer ser uma superpotência? É justo, desde que, primeiro, se torne um país livre e democrático. E, para isso, claro, não há como apostar num Estado opressor, controlador de tudo e de todos.

Agora, caminha a Colômbia para um buraco sem fim de fracassos. Um ex-bandido no poder, guerrilheiro ligado a narcotraficantes, prometendo, de cara, libertar criminosos. E já se conhecem seus crimes por vir… Aumento de impostos, dos gastos do governo, da dívida pública, aumento do Estado… Intervenção constante na economia, tabelamento de preços, impressão de dinheiro, programas sociais a rodo… Aversão ao capital privado, estatização generalizada… A Colômbia vai quebrar.

O futuro presidente do país, que foi amigo de Hugo Chávez, também fala em “justiça social”, em “justiça racial”, mesmo que se saiba que verdadeiramente só existe justiça, sem complementos, a mesma para todos, ou deixa de ser justiça. São os “ungidos” de que fala Thomas Sowell, aqueles que têm “superioridade moral”, que têm a cara de pau de desconfiar da realidade, já que ela não condiz com a visão dos socialistas. Todas as evidências, todos os fatos são contrários às suas ideias. Então, o real é suprimido e anuncia-se um mundo de fantasias.

Sempre vendendo utopias, os socialistas estão voltando ao poder, prontos para manter os pobres na pobreza, dependentes do Estado. Já faz tempo que esse bando se apropriou da bondade, da fraternidade, da solidariedade. Eles têm poderes demoníacos para enganar, para iludir. Discordar deles, ainda que com base em fatos e acontecimentos irrefutáveis, é ser considerado egoísta, insensível, mau. Estamos todos em perigo. A realidade foi bloqueada, como bem explica Thomas Sowell, “para que uma perigosa ação em curso possa prosseguir cegamente até sua conclusão fatal”.

Loading...