EUA: invasão ao Congresso incitada por Trump termina com quatro mortos

Polícia encontrou duas bombas: uma no diretório nacional do partido democrata e uma no do partido republicano

A polícia de Washington vai investigar a morte da mulher atingida, nesta quarta-feira (6) por um projétil, durante invasão do Capitólio. O anúncio foi feito pelo chefe da polícia metropolitana da capital estadunidense, Robert Contee.

Invasão no COngresso dos EUADe acordo com a polícia local, 57 prisões foram confirmadas – Foto: Reprodução/Twitter/ND

Além dela, Contee confirmou a morte de mais três pessoas nas imediações do Congresso, em razão de emergências médicas. Segundo boletim lido pelo policial, 14 oficiais ficaram feridos no conflito, sendo um em estado grave. O chefe de polícia elogiou os esforços “na defesa pela democracia” dos Estados Unidos.

Contee afirmou que foram realizadas 52 prisões por desobedecer as restrições, quatro por carregar armas sem licença e uma por armamento proibido.

Duas bombas foram encontradas: uma no diretório nacional do partido democrata e uma no do partido republicano. Segundo Contee, o trabalho da polícia foi o de isolar o perímetro após a retirada dos invasores, em um esforço conjunto entre polícias de Estados próximos e a guarda nacional, deslocados para a ocasião.

Sobre os próximos dias, quando o esforço poderá ser repetido, “se você não está envolvido com atividades ilegais, fique longe das ruas”, alertou o chefe de polícia.

Sobre a invasão

Nesta quarta-feira (6), apoiadores do atual presidente Donald Trump invadiram o Congresso e entraram em contato com a polícia norte-americana. No momento, era realizada uma sessão para consagrar a vitória do democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral.

Na ocasião, Mike Pence, que presidia a reunião, foi retirado do Congresso, e Washington decidiu por toque de recolher às 18h. A certificação foi, então, interrompida.

+

Política Internacional