Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Absurdo dos absurdos …a Procuradoria Geral do Estado virou organismo do governador

O uso do aparato estatal , que existe para defender o Estado se transformou em um organismo em defesa do governo, mais especificamente do governador. No momento em que contesta o rito do impeachment no STF não faz outra coisa senão substituir os advogados de defesa do governador. Além disso, coloca em confronto outro poder , a Assembleia Legislativa. Atira contra o presidente Julio Garcia, em visível integre-se do governador. Usou um artifício de contestação de uma lei para encobrir a real finalidade. A Procuradoria Geral do Estado virou banca de advogado do governador Moisés num total conflito de interesse. Há um claro desvio de finalidade e nítido ato de improbidade administrativa pois se trata de instrumento judicial que tem como objetivo principal a resolução de conflito juridico relevante para o interesse público do Estado. E não é o que está ocorrendo. O Procurador-Geral do Estado usa deste importante meio judicial de defesa dos interesses de Santa Catarina para tentar paralisar o processo de impeachment de seu “chefe”. O objetivo não é outro senão manter Moisés na Agronômica e claro garantir a sua permanecia no comando da Procuradoria. Buscaram a tese de defender uma lei que na verdade encobre a defesa do governador. Grave e absurdo.