Moacir Pereira

moacir.pereira@ndmais.com.br Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


ÁUDIO: Moacir Pereira comenta crescimento de casos da variante Ômicron em SC

Jornalista destaca a repercussão do Projeto de Lei que reduz a alíquota de ICMS sobre as bebidas alcoólicas no Estado

Moacir Pereira comenta nesta sexta-feira (7) sobre o crescimento de casos da variante Ômicron em Santa Catarina. Várias cidades como Florianópolis, São José, Chapecó registram esse triste cenário no começo deste ano.

O principal fato da semana com o crescimento vertical de casos de Covid leva a muitas reflexões como os números impactantes na Capital não eram esperados? Por que foram autorizados shows musicais em Florianópolis com a presença de mais de 20 mil pessoas, muitas sem máscara? E os espetáculos em várias casas no Litoral catarinense?

Outro fato para a reflexão foi a suspensão de viagens de navios de cruzeiros no litoral brasileiro, quando foram detectados vários casos da doença a bordo, mesmo com a vacinação em dia, com o passaporte vacinal antes do embarque e com o teste PCR em dia. Como explicar?

O jornalista destaca ainda as críticas ao governador Carlos Moisés por ter vetado o Projeto de Lei aprovado pela maioria da Alesc (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina) reduzindo a alíquota de ICMS sobre as bebidas alcoólicas.

O ex-governador Raimundo Colombo assumiu a defesa de bares, hotéis e restaurantes e casas de espetáculos, que foram alvo do veto governamental. Enfatizou que mais uma vez o governador foi insensível com um dos setores mais atingidos e prejudicados pela pandemia.

O projeto previa a redução do ICMS de 7% para 3%, tornando o imposto no Estado com a mesma alíquota cobrada no Paraná, ou seja, equidade tributária.

Em nota, o governo comunicou que o veto foi aplicado porque a lei aprovada pela Alesc feria a Lei de Responsabilidade Fiscal e porque a Alesc não indicou a forma de ressarcimento das perdas financeiras pela redução do tributo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...