Carlos Moisés reivindica à Petrobras ampliação de oferta de gás natural para SC

Estado corre risco de perder sua competitividade no cenário caso ocorra a falta do gás natural em solo catarinense

O governador Carlos Moisés foi até a sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, às 14h desta sexta-feira (13), para reivindicar a ampliação da oferta de gás natural para o Estado.

O pedido foi feito após Santa Catarina correr o risco de perder sua competitividade no cenário natural caso haja falta do insumo, que é usado majoritariamente por 324 indústrias catarinenses, correspondentes a 50% do PIB industrial catarinense.

Carlos Moisés estava acompanhado dos presidentes da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl; da Fiesc (Federação das Indústrias), Mário Cezar de Aguiar; e da Celesc, Cleicio Poletto, na reunião da Petrobras – Foto: Peterson Paul/Secom/Divulgação/NDCarlos Moisés estava acompanhado dos presidentes da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl; da Fiesc (Federação das Indústrias), Mário Cezar de Aguiar; e da Celesc, Cleicio Poletto, na reunião da Petrobras – Foto: Peterson Paul/Secom/Divulgação/ND

Foi entregue ao diretor de refino e gás natural da estatal, Rodrigo Costa Lima e Silva, um ofício contendo todas as reivindicações feitas pelo governador. A proposta, que servirá para fomentar a economia catarinense, deve ser analisada pela diretoria da Petrobras, que enviará uma resposta ao Estado dentro de duas semanas.

Segundo a avaliação do presidente da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), o Estado pode ter seu crescimento econômico e estrutural atrasado, ou até mesmo paralisado, caso uma eventual falta de gás natural aconteça. Para Santa Catarina, o Estado de São Paulo é o principal concorrente, que possui as tarifas mais atrativas no setor, o que pode prejudicar a competitividade das indústrias catarinenses, em especial no setor cerâmico.

A crescente demanda do mercado, acaba contrastando com as limitações atuais de abastecimento pelo GASBOL (Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil). “A ampliação da oferta de gás natural para atender à demanda da indústria catarinense é uma das prioridades da nossa gestão. Por isso, junto aos órgãos responsáveis e fiscalizadores, vamos viabilizar maneiras de aumentar o fornecimento do insumo para Santa Catarina”, comenta o governador Carlos Moisés.

Moisés em reunião com supervisores de diversas entidades ligadas ao suprimento econômico de gás natural – Foto: Peterson Paul/Secom/Divulgação/NDMoisés em reunião com supervisores de diversas entidades ligadas ao suprimento econômico de gás natural – Foto: Peterson Paul/Secom/Divulgação/ND

Dados da SCGás (Companhia de Gás de Santa Catarina) ainda apontaram que o Estado catarinense bateu recorde na comercialização de gás natural no último mês, com 70 milhões de metros cúbicos comercializados. As 324 indústrias de Santa Catarina consumiram, ao todo, 1,9 milhão de metros cúbicos por dia, correspondendo a 80% dessa demanda.

Suprimento de gás natural em Santa Catarina

Atualmente, o contrato de suprimento de gás natural com a Petrobras prevê a aquisição de 2,08 milhões de metros cúbicos por dia, podendo ainda ser ampliada em 5% da quantidade contratada.

Para não afetar o abastecimento do mercado, a empresa finalizou o processo de chamada pública, contratando o suprimento adicional de GNL (Gás Natural Liquefeito) vindo da Argentina.

Ainda, até 2025, a SCGÁS pretende investir mais de R$ 450 milhões para construir 507 novos quilômetros de rede, ligando mais 122 indústrias e 30 mil novos clientes.

+

Política SC

Loading...