Com incógnita de R$ 1,2mi, governo lança site com informações sobre caso dos respiradores

Estágio avançado das investigações permitiu divulgação das medidas adotadas na recuperação dos R$ 33 milhões gastos na compra fraudulenta de 200 respiradores pelo Estado de SC

O Governo de Santa Catarina lançou nesta segunda-feira (16) uma plataforma com informações sobre o avanço na recuperação dos R$33 milhões gastos na compra fraudulenta de 200 respiradores pela Secretaria de Saúde, e que não foram entregues pela Veigamed.

O crime ocorreu em abril de 2020 e motivou um impeachment contra o governador Carlos Moisés (PSL), do qual ele foi absolvido.

Com incógnita de R$ 1,2mi, governo lança site com informações sobre caso dos respiradoresPágina detalha situação dos R$ 33 milhões: o que foi bloqueado, depositado e o que ainda tramita na Justiça – Foto: Governo de Santa Catarina/Divulgação/ND

A plataforma detalha o quanto já foi recuperado do montante. Cerca de 14,2 milhões (43%) já foram depositados. Há ainda 6,6 mi (20%) em imóveis que estão bloqueados pela Justiça e cerca de 1 milhão (3%), também em imóveis, ainda em pendência de decisão judicial.

Conforme o governo estadual, mas de R$ 10 milhões (30%) estão sendo cobrados em ação contra a empresa importadora. Entretanto, cerca de 1,2 milhão (3,6%) do total são uma incógnita. O valor estaria sendo “rastreado”, conforme o Executivo informou à coluna de Moacir Pereira.

O governo estadual também detalha as providências tomadas para recuperar o dinheiro, a linha do tempo do caso e os processos instaurados. A plataforma pode ser acessada por meio deste site. A publicação da página ocorre devido ao avanço das investigações, que não sofre riscos de prejuízo, segundo o governo.

Nova fase de ações

A PGE/SC (Procuradoria-Geral do Estado) se reuniu nesta semana com o Ministério Público e a Polícia Civil para alinhar ações com o intuito de agilizar a recuperação do dinheiro desviado.

As atividades estão focadas em identificar novos bens de empresas e pessoas envolvidas no episódio que possam garantir o ressarcimento dos valores pagos pela Administração Pública, além de repatriar os recursos enviados ao exterior.

O contrato polêmico envolvendo a empresa Veigamed e a Secretaria de Estado da Saúde, que pagou R$ 33 milhões antecipadamente pelos 200 respiradores, veio à tona em 2020 e é alvo de investigação na Operação Oxigênio.

Em maio deste ano, o governador Carlos Moisés (sem partido) foi absolvido no Tribunal de Julgamento que apurava a participação dele na compra fraudulenta. Com o arquivamento das investigações que apuravam o envolvimento de Moisés, há pouco mais de um mês, a Justiça de Santa Catarina retomou o inquérito que investiga a compra irregular.

+

Política SC

Loading...