CPI do rio Mathias é aberta pela Câmara de Joinville; veja quem são os membros da comissão

Câmara tem 60 dias, prorrogáveis por mais 45, para concluir a CPI que apura as obras do rio Mathias, que deveriam solucionar os alagamentos na cidade

A Câmara de Vereadores de Joinville aprovou, em sessão extraordinária realizada nesta segunda-feira (18), a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do rio Mathias.

Obras do rio Mathias começaram em 2014 – Foto: Carlos Junior/NDObras do rio Mathias começaram em 2014 – Foto: Carlos Junior/ND

O requerimento de formação da CPI foi lido na sessão extraordinária da última quinta (14) e, depois, passou para a avaliação da Procuradoria da Câmara, que decidiu que a CPI pode ser aberta, já que há o cumprimento dos requisitos constitucionais necessários para a ação.

Com isso, o presidente da Câmara, Maurício Peixer (PL), nomeou os integrantes da CPI por meio de indicação dos líderes dos partidos, assegurando a representação partidária proporcional.

Foram nomeados para integrar a CPI os vereadores Diego Machado (PSDB), Wilian Tonezi (Patriota), Neto Petters (Novo), Claudio Aragão (MDB) e Cassiano Ucker (Cidadania). Este último, porém, pediu para ser substituído pelo vereador Sales (PTB).

Com isso, esses são os membros da CPI do rio Mathias:

  • Diego Machado (PSDB) – relator
  • Wilian Tonezi (Patriota) – presidente
  • Neto Petters (Novo) – secretário
  • Claudio Aragão (MDB)
  • Sales (PTB)

Sales e Wilian Tonezi concorreram pela presidência da comissão: Neto Petters e Wilian Tonezi votaram no vereador do Patriota, enquanto Claudio Aragão e Sales escolheram o vereador do PTB. Coube a Diego Machado desempatar, nomeando Wilian Tonezi à presidência da CPI.

Para o cargo de relator, mais um empate, desta vez entre Sales e Diego Machado: Sales e Claudio Aragão votaram a favor do vereador do PTB, enquanto Diego Machado, Netto Petters e Wilian Tonezi ficaram a favor do vereador do PSDB. Já o secretário Neto Petters foi escolhido por unanimidade.

“Esse era o desejo da população, é isso que o joinvilense quer. Vou conduzir a CPI com diálogo e conversa pra que a gente possa ter as respostas que quer”, disse Tonezi.

Wilian Tonezi foi escolhido presidente da CPI do rio Mathias – Foto: André Kopsch/NDWilian Tonezi foi escolhido presidente da CPI do rio Mathias – Foto: André Kopsch/ND

A CPI deve apurar a demora na conclusão da obra, os impactos financeiros dela, além da execução dos contratos. O prazo para o fim da comissão é de 60 dias, prorrogáveis por mais 45. O período passa a contar após o dia 1º de fevereiro, quando deve ser feita a primeira reunião da CPI, já com a convocação do secretário de Infraestrutura e Joinville.

As obras do rio Mathias, que começaram em 2014, eram tidas como a solução para os alagamentos no Centro de Joinville. Porém, elas foram paralisadas depois que o contrato com a empresa responsável foi rompido.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Política SC