Defensor público reage com “certa alegria” a suspensão de processo de impeachment

Autor da representação contra o governador Carlos Moisés, Ralf Zimmer Júnior disse que o rito proposto pela Alesc estava equivocado

A decisão liminar que suspendeu o processo de impeachment do governador Carlos Moisés (PSL) foi bem recebida pelo defensor público Ralf Zimmer Júnior. Em um vídeo veiculado nas redes sociais, o autor da representação que deu origem ao processo de impeachment explica que o rito proposto pela Alesc estava “equivocado”.

Defensor Público Ralf Zimmer Júnior repercutiu decisão do TJSC que suspendeu processo de impeachment. Foto: reprodução Whatsapp

Zimmer Júnior relata que a decisão liminar do desembargador Luiz Cezar Medeiros, do TJSC, que suspendeu a tramitação do processo foi recebida com “certa alegria”, por dois motivos. Primeiro, por acabar com a teoria da conspiração de que haveria um conluio para derrubar o governo.  “Isso não é verdade. Nunca foi e nunca será. O que tem é a forma da lei que deve servir para o senhor governador e para todos que foram acusados”, destaca.

O segundo motivo é o rito proposto pela Alesc, que admite a possibilidade de afastamento do governador por uma decisão em plenário. Segundo Zimmer Júnior, o que o plenário pode fazer é admitir a acusação para criar de um órgão julgador, liderado pelo presidente do TJSC e composto por cinco desembargadores e cinco deputados, com direito a defesa dos impedidos. “Aí sim, com sete votos (dois terços) primeiro afastar cautelarmente, e depois, no mérito, julgar procedente o impedimento”, explicou Zimmer Júnior.

O defensor público também opinou sobre o futuro do processo e consequência para definição da chefia do Poder Executivo em Santa Catarina. “Não compactuo com eventual arrastamento desse processo para uma eleição indireta em 2021. Isso seria uma vergonha para Santa Catarina. Ou se tem o impedimento nesse ano e se devolve para os catarinenses a possibilidade de eleger o governador de forma direta ou melhor não ter impedimento”, completou o defensor público, que parabenizou o TJSC e o advogado de defesa do governador Carlos Moisés, Marcelo Probst.

+

Política SC