Sabrina Aguiar

sabrina.aguiar@ndtv.com.br Coluna sobre os assuntos de Joinville e região. A economia, segurança pública, política e todos outros fatos por quem vive e pensa sobre as cidades.


Deputado propõe mudança na escolha de delegado-geral da Polícia Civil de SC

O deputado Ivan Naatz (PL) quer novo modelo para seleção de delegado-geral

A escolha do delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina pode mudar em breve. Pelo menos essa é a intenção do deputado Ivan Naatz (PL) na Assembleia Legislativa do estado (Alesc).

Ivan deve apresentar Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para que seja implantado o modelo de lista tríplice na definição do cargo mais alto da corporação. Seria o mesmo modelo adotado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e pelas universidades federais.

Ivan Naatz quer ouvir delegados afastados, delegado-geral, chefe do Ministério Público e mudar modelo de indicação do chefe da Polícia Civil em Santa Catarina – Foto: Rodolfo Espínola/AgênciaAL/Divulgação/NDIvan Naatz quer ouvir delegados afastados, delegado-geral, chefe do Ministério Público e mudar modelo de indicação do chefe da Polícia Civil em Santa Catarina – Foto: Rodolfo Espínola/AgênciaAL/Divulgação/ND

Neste novo contexto, os delegados lotados nas cidades catarinenses votariam nos nomes que seriam mais capacitados ao cargo. Os três mais citados passariam pela seleção do Governador de Santa Catarina, que por fim definia o novo delegado-geral. Hoje, a definição é feita por livre escolha do executivo estadual.

Ivan Naatz afirma que a “ a alteração não tira o poder do governador de indicar o cargo de delegado-geral da instituição, mas facilita e abre espaço democrático para a categoria também participar do processo e despolitizar a escolha do representante”.

Essa PEC foi criada em 2015 pelo então deputado Leonel Pavan (PSDB), mas foi arquivada na legislatura passada. Já a nova proposta está na fase final da coleta de assinaturas de apoio entre os parlamentares, faltando apenas uma para as 14 necessárias – de acordo com o regimento interno da Alesc.

Crise na Polícia Civil

Marcos Ghizoni assumiu o cargo mais alto da Polícia Civil após o pedido de exoneração de Akira Sato. O delegado ficou apenas quinze dias na posição.

Sato teria se sentido coagido com um pedido para substituir o delegado Rodrigo Schneider, chefe da Cecor (Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção), responsável pelas Decor (Delegacias de Polícia Especializadas no Combate à Corrupção).

Laurito Akira Sato em foto oficial de divulgação ao assumir o cargo de delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina – Foto: Cristiano Estrela/Divulgação/NDLaurito Akira Sato em foto oficial de divulgação ao assumir o cargo de delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina – Foto: Cristiano Estrela/Divulgação/ND

As investigações no caso de suposta corrupção em uma licitação no Porto de São Francisco do Sul estariam sob coordenação de Schneider.

Rafaello Ross, delegado em Joinville, chegou a ser apontado como novo chefe da corporação, mas de última hora o nome de Marcos Ghizoni voltou aos holofotes.

*Mikael Melo cobre interinamente a coluna de Sabrina Aguiar

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...