Economia do Contestado: Planalto Norte de SC é potência do campo à indústria

Desde a Guerra do Contestado, região se destaca pela produção de erva mate e madeira, enquanto abre caminhos para outras atividades

Durante a Guerra do Contestado, no século passado, a produção de erva mate e madeira alavancava a economia do Planalto Norte catarinense. Atualmente, mais de cem anos após o conflito, a região continua tendo força nesses dois setores, mas abriu caminho para novas atividades.

“De praticamente R$ 263 bilhões de riquezas geradas em Santa Catarina em 2020, a nossa região foi responsável por R$ 8 bilhões”, destaca Luiz Henrique Saliba, presidente da Amplanorte (Associação dos Municipios do Planalto Norte). Do campo à indústria, a área com mais de oito milhões de metros quadrados atrai investimentos.

Do campo à indústria: Planalto Norte tem economia forte em várias atividades – Foto: Reprodução/NDTVDo campo à indústria: Planalto Norte tem economia forte em várias atividades – Foto: Reprodução/NDTV

A produção de erva mate, por exemplo, é um negócio familiar em várias cidades, como em Canoinhas, que chegou a ser chamada de Ouro Verde pela intensa produção da planta. Raianny Fátima Amaral é dona de uma ervateria e fala sobre a força da exportação.

“A exportação é concentrada no Uruguai, mas também há vendas para outros países, como Argentina, Chile, Polônia e Canadá. Vários países estão consumindo mais erva mate”, conta a empresária.

Produção de erva mate é potência desde a Guerra do Contestado – Foto: Reprodução/NDTVProdução de erva mate é potência desde a Guerra do Contestado – Foto: Reprodução/NDTV

O agronegócio também é significativo em outras cidades, com a economia baseada em fumo, feijão e soja. Além disso, araucárias, eucaliptos e pinus fazem parte da paisagem e acaba gerando negócios na região.

“A indústria madeireira foi nosso alicerce para que pudéssemos chegar onde estamos hoje. Porto União, o Planalto Norte catarinense e o sul do Paraná foram o berço do progresso dos dois estados”, conta Carlos Santos, secretário de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente de Porto União.

Um exemplo é a produção de compensados da fábrica do empresário Mohamed Abbas, que ressalta a potência do segmento. “Hoje, o setor que está mais ativo em Porto União é o de compensados para exportação. Também há empresas de pallets para exportação: enquanto em outra época estava 100 dólares o metro cúbico de pallets, hoje está 175”, fala.

Indústria madeireira também é forte no Planalto Norte – Foto: Reprodução/NDTVIndústria madeireira também é forte no Planalto Norte – Foto: Reprodução/NDTV

Para o presidente da Amplanorte, os cinco portos próximos, assim como a existência de ferrovia ativa, aeroporto empresarial e várias rodovias tornam as possibilidades de desenvolvimento para a região ainda maiores, atraindo empresas e fazendo dela celeiro de produção no Estado.

Caminhos do Contestado é uma produção especial da NDTV Record Joinville exibida em três episódios que vão ao ar às quintas-feiras, no programa Balanço Geral. O primeiro foi ao ar na semana passada e você pode conferir aqui no ND+. Assista ao segundo episódio abaixo e confira o último na próxima semana:

+

Caminhos do Contestado

Loading...