Poder

os bastidores da política em Santa Catarina com informação e opinião sobre os fatos quentes do poder.


Apenas uma das 27 capitais terá uma prefeita mulher

A situação é a mesma de 2012 e 2016. No segundo turno, das 13 capitais com disputa em aberto, cinco tinham mulheres na briga

Nada mudou: após as eleições 2020, finalizadas no, apenas uma entre as 26 capitais brasileiras será governada por uma mulher. Palmas, no Tocantins, conseguiu o lugar de destaque ao reeleger Cinthia Ribeiro (PSDB) já no primeiro turno.

Assembleia Constituinte de 1988 da Alesc – Foto: Reprodução/NDAssembleia Constituinte de 1988 da Alesc – Foto: Reprodução/ND

A situação é a mesma de 2012 e 2016. No segundo turno, das 13 capitais com disputa em aberto, cinco tinham mulheres na briga.

Já nas Câmaras, um levantamento feito pelo Estadão mostra que quase uma em cada cinco cidades do país – ou 931 municípios (17% do total) – não elegeu nenhuma vereadora neste ano.

O número de cidades é maior ainda do que o registrado em 2016, quando 1.292 câmaras municipais ficaram sem representatividade feminina.

Segundo especialistas, a cota de 30% de candidatas ajudou a conquistar mais espaço, mas ainda falta investimento e apoio das siglas.

Menor valor

O conselho pleno da OAB/SC (Ordem dos Advogados do Brasil) aprovou a proposta da diretoria que estabelece o valor da anuidade para a advocacia em 2021, o mais baixo nos últimos 15 anos e, pela primeira vez, inferior ao salário mínimo – em 2007, por exemplo, equivalia a mais de dois salários mínimos.

Será o quarto ano consecutivo que a anuidade da OAB/SC não terá reajuste. “É um compromisso cumprido que só foi possível em razão dos investimentos em capacitação e tecnologia”, explica o presidente Rafael Horn.

O novo governo de Moisés

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) reassumiu o comando do Executivo estadual em meio à pior fase da pandemia, desde que se ouviu falar em coronavírus.

Mostrou, no entanto, mais atitude neste “novo mandato”, ao reunir já na manhã de sábado representantes de hospitais e Federação Catarinense dos Municípios para tratar de atitudes visando ao controle da difícil situação.

Moisés saiu da live, tomou atitude, anunciou a prorrogação do período de repasse do valor máximo para hospitais além de R$ 44 milhões para a reativação imediata de 205 leitos de UTI.

A impressão primeira é que Moisés assumiu de fato o papel de gestor que faltava a ele no início do ano, abrindo diálogo com prefeitos e afinando o discurso para a tomada de decisões necessárias.

Karina Manarin

Único

Com apenas uma prefeitura no país, o futuro prefeito de Joinville assume o protagonismo dentro do Novo, sigla abandonada por João Amoedo depois da disputa pela presidência da República.

Com 8 deputados federais, 13 deputados estaduais e 29 vereadores em todo o país, Adriano Silva, empresário do grupo de laboratórios e farmácias, passa a ser o porta-voz no setor de gestão pública ao lado de Romeu Zema e olha 2022 como oportunidade para várias ações em favor da sigla.

Ele foi uma das exceções da “antipolítica” que, pelos números nacionais, decidiu eleger candidatos com experiência, completamente diferente do cenário de 2018. Pelo que conseguiu alcançar no último domingo, ninguém duvida mais.

Marcos Schettini