Candidato a vereador de SC com suástica na piscina tem 72h para se explicar à Justiça

Candidato em Pomerode deve responder ao juiz eleitoral sobre a sua filiação partidária no PL. Na piscina de casa, ele tem uma suástica. Caso ficou famoso em 2014

O Juiz do cartório Eleitoral de Pomerode, Bernardo Augusto, fixou o prazo de 72 horas para o candidato a vereador da cidade catarinense, Professor Wander, explicar sua situação partidária no PL (Partido Liberal). A determinação está em intimação expedida nesta quinta-feira (15), pelo Chefe da 55ª Zona Eleitoral, Rafael Leon Menezes Sanches.

O documento foi enviado ao candidato, depois da identificação de um registro de desfiliação partidária feito “a pedido do eleitor”, em 8 de outubro contra ele. Ainda segundo a intimação, na consulta aos registros oficiais do sistema, não há registro da desfiliação.

Candidato a vereador de SC com suástica na piscina tem 72h para se explicar à Justiça – Foto: Reprodução/TV Record

A polêmica em torno da candidatura de Wander começou porque ele tem uma suástica na piscina de casa, como revelou a Polícia Civil em 2014.

Wandercy Antônio Pugliesi, conhecido como Professor Wander, chamou atenção em 2014, após a piscina que mantém em sua casa em Pomerode com a estampa de uma cruz suástica nazista ser fotografada pela Polícia Civil durante o acompanhamento de um sequestro.

Na intimação, o juiz pede que o candidato explique sua filiação partidária até 4 de abril de 2020, prazo que corresponde  ao seis meses de filiação que os candidatos devem atender para disputar os cargos eletivos.

Confira o documento:

Justiça Eleitoral intimou candidato a prestar esclarecimentos – Foto: Reprodução/ND

Posicionamento do PL

O Diretório Estadual do Partido Liberal em Santa Catarina alega que desconhecia a filiação do candidato a vereador, conduzida pela direção municipal. 

Além disso, por não compactuar ideologicamente com o filiado, o PL encaminhou seu desligamento. O partido também quis reforçar sua firme posição contra todo tipo de apologia à discriminação racial, religiosa e social.

Em função dos prazos da Justiça Eleitoral, Wander não poderá se filiar a outro partido para concorrer ao cargo de vereador nesta eleição. Sem a filiação, o mais provável é que fique de fora da disputa em 2020.

+

Eleições 2020