Entra e sai: veja mais quatro mudanças de Daniela Reinehr no secretariado de SC

Governadora interina Daniela Reinehr (sem partido) promoveu mais quatro mudanças no primeiro escalão do governo de SC; confira

A governadora interina Daniela Reinehr (sem partido) promoveu ontem mais mudanças no primeiro escalão do governo do Estado. Foram empossados quatro novos secretários: Fazenda, Administração, Articulação Nacional e Defesa Civil.  Quando assumiu o governo, no dia 30 de março, Reinehr já tinha promovido alterações nas pastas da Saúde, Casa Civil, Infraestrutura, Procuradoria-Geral do Estado, Comunicação e Casa Militar.

Secretário Paulo Eli; talvez a mudança mais emblemática promovida pela governadora interina Daniela Reinhr (sem partido) Foto: Rodolfo Espínola/Agência AL/Divulgação/NDSecretário Paulo Eli; talvez a mudança mais emblemática promovida pela governadora interina Daniela Reinhr (sem partido) Foto: Rodolfo Espínola/Agência AL/Divulgação/ND

A mais emblemática dessa nova troca foi a saída de Paulo Eli, da Fazenda, que estava no cargo desde fevereiro de 2018, ainda no governo Raimundo Colombo (PSD) e acabou mantido pelo governador Carlos Moisés (PSL). Durante os 30 dias que comandou o Estado no ano passado, Daniela Reinerh manteve Eli no cargo. No lugar dele assumiu o auditor fiscal Rogério Macanhão. Para a secretaria de Administração, a advogada Ana Blasi assume no lugar de Jorge Eduardo Tasca, que pediu exoneração no dia da posse da governadora.

Na Defesa Civil assumiu Alexandre Waltrick, no lugar de David Christian Busarello, que durou apenas 34 dias no cargo. Jorginho Davi é o novo secretário de Articulação Nacional, que substituiu Lucas Esmeraldino, outro que pediu exoneração logo após Moisés ser afastado do cargo. Em novembro de 2020, durante o primeiro afastamento de Moisés, foi exonerado da mesma pasta.

Daniela vem promovendo trocas em todos níveis do governo desde que assumiu o cargo. De uma só vez tornou “sem efeito”, as 55 nomeações realizadas pelo governador afastado Carlos Moisés, feitas no apagar das luzes antes de seu afastamento por até 120 dias. Bastaram três dias e ela exonerou os indicados. A maioria ligada aos deputados da base de apoio a Moisés na Assembleia Legislativa, especialmente os quatro que votaram contra o afastamento do governador no Tribunal Especial de Julgamento em 26 de março de 2021. Entre as nomeações estava o ex-vereador de Florianópolis, Edinho Lemos (PSDB), indicação do deputado estadual Marcos Vieira, integrante do tribunal misto.

Em coletiva logo após assumir o cargo interinamente, Daniela já tinha anunciado novas mudanças em seu governo, mas demonstrava que poderia manter alguns nas secretarias. “Mostram (os que foram mantidos) que estão fazendo um bom trabalho, time que está indo muito bem… Algumas mudanças serão feitas (no secretariado) no decorrer, conforme a necessidade”, avaliou a governadora interina.

Durante a posse dos quatro novos secretários, Daniela disse que “é um momento muito importante para Santa Catarina, nesse intuito de recuperar a credibilidade do Estado. São nomes de peso, com grande competência e conhecimento das necessidades. Queremos recuperar a saúde, a economia e recuperar a autoestima do povo catarinense”.

QUEM ENTRA

Fazenda

Rogério Macanhão é natural de Cascavel (PR), auditor fiscal da Receita Estadual desde 1995. Foi presidente do Sindicato dos Fiscais da Fazenda de Santa Catarina (Sindifisco) entre 2003 e 2005, onde hoje é titular no Conselho Fiscal. Macanhão atuou em Brasília como presidente da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), onde também exerceu o cargo de Diretor de Assuntos Parlamentares e Relações Institucionais.

Administração

Ana Cristina Ferro Blasi é graduada e mestre em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi Juíza nomeada para o TRE/SC entre 2015 e 2017. Também já foi secretária-geral da Seção da OAB de Santa Catarina em 2013. Já atuou como professora titular do curso de Direito da UFSC e de Direito Administrativo na Univali. É membro fundadora do grupo de Mulheres do Brasil, que incentiva o aumento da participação feminina na política brasileira e também participou da fundação do Instituto de Direito de Santa Catarina. Em 2018, recebeu a medalha Mulher Cidadã da Câmara dos Deputados.

Defesa Civil

Alexandre Waltrick Rates é graduado em Direito pela Univali. Tem especializações em Direito Administrativo, Direito e Gestão Ambiental e MBA Executivo Internacional em Gestão de Negócios. É mestre em Ciência Jurídica pela Univali e mestre em Gestão de Empresas pela Universidade Lusófona de Portugal. É doutorando em Ciência Jurídica. Já ocupou o cargo de presidente do IMA (então Fatma) entre 2014 e 2018.

Articulação Nacional

Jorge Davi Agostinho da Silva já atuou como Diretor de Esportes da prefeitura de Criciúma, presidente da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), foi chefe de gabinete do prefeito e assessor parlamentar do deputado Daniel Freitas, responsável pela articulação política do gabinete com o Executivo em Brasília.

QUEM SAI

Paulo Eli

Tomou posse como secretário da Fazenda em fevereiro de 2018, ainda na gestão do governador Raimundo Colombo (PSD). Foi mantido no cargo pelo governador afastado Carlos Moisés.

Jorge Eduardo Tasca

O tenente-coronel da Polícia Militar (PM) Jorge Eduardo Tasca estava no cargo desde o início do governo Moisés. Pediu exoneração da função em setembro, para se defender das acusações de crime de responsabilidade no primeiro processo de impeachment. Retornou ao governo em novembro do ano passado, após o arquivamento do processo. Pediu exoneração, no dia da posse da governadora.

David Christian Busarello

Durou pouco tempo no cargo. O ex-vereador na cidade de Timbó foi empossado pelo governador Carlos Moisés no dia 08 de março passado. Era uma indicação do MDB.

Lucas Esmeraldino

Faz parte do governo Carlos Moisés desde o início da gestão como secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável. Assumiu a Articulação Nacional em maio do ano passado. Foi exonerado pela então governadora interina Daniela Reinerh em outubro. Voltou ao cargo em novembro e pediu exoneração logo após Moisés ser afastado do cargo.

+

Política SC