Governo Moisés soma cinco exonerações de secretários em menos de dois anos

Secretário de Administração, Jorge Eduardo Tasca, pediu exoneração nesta segunda-feira (14), para se "dedicar integralmente à defesa do governador e da vice-governadora”

O governo de Carlos Moisés (PSL) contabilizou a quinta baixa em uma das principais pastas em menos de dois anos de mandato. O secretário de administração do Estado, Jorge Eduardo Tasca, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (14).

A decisão foi comunicada ao governador Carlos Moisés e também será informada à Comissão Especial de Impeachment, já que Tasca é um dos envolvidos no processo de impedimento que contempla ainda Moisés e a vice Daniela Reinehr (sem partido).

Tasca diz que processo é injusto

Em vídeo divulgado ainda nesta segunda(14), Tasca explica que pediu exoneração para afastar seu nome do que classificou como “injusto processo de impeachment”.

Ele ainda disse que pretende se dedicar “integralmente à defesa do governador e da vice-governadora”. O ex-secretário diz que tem a convicção de que a Alesc vai arquivar o processo.

Em nota, o governo de Santa Catarina afirmou que o secretário-adjunto Luiz Antonio Dacol assume a Secretaria de Estado da Administração.

Relembre as outras exonerações

Após o escândalo do caso dos 200 respiradores – adquiridos pelo valor de R$ 33 milhões -, o governador Carlos Moisés já recebeu os pedidos de exoneração de Helton de Souza Zeferino (ex-secretário da pasta de Saúde), Douglas Borba (ex-Casa Civil), Luiz Felipe Ferreira (ex-Controlador-Geral) e Amandio Júnior (ex-Casa Civil).

Desde a saída de Amandio, em 26 de junho, a Casa Civil, ficou sem secretário, sendo substituído pelo interino, Juliano Chiodelli.

Envolvido no caso do aumento salarial dos procuradores, Tasca também foi ouvido na CPI dos Respiradores da Alesc e foi ferrenho defensor de Moisés. Ele foi um dos primeiros secretários anunciados por Moisés para seu governo logo que ele foi eleito, em dezembro de 2018.

Confira a nota do governo de SC na íntegra:

O governador Carlos Moisés aceitou nesta segunda-feira, 14, o pedido de exoneração do secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca. Durante o período que esteve à frente da pasta, foram conquistados avanços significativos na gestão pública, com inovação, digitalização e revisão de contratos, que resultaram em economia na ordem de R$ 360 milhões aos cofres estaduais. Com a mudança, o atual secretário adjunto Luiz Antonio Dacol assume a Secretaria de Estado da Administração. Os atos de exoneração e nomeação serão publicados no Diário Oficial desta segunda-feira, 14.

+

Política SC