Governo Reinehr descarta lockdown e proibições em SC

Enquanto Daniela Reinehr é contra fechamentos, Zanotto afirma que não haverá leitos de UTI para todos e que é preciso evitar casos graves

A governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), visitou o depósito da Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), onde ficam as vacinas da Covid-19 do Estado, na tarde desta quinta-feira (1º).

Ao lado da nova secretária da Saúde, Carmen Zanotto (Cidadania), Reinehr concedeu coletiva à imprensa, e destacou que seu ideal no enfrentamento à pandemia é não proibir.

Governadora de Santa Catarina se posiciona sobre lockdown e fala sobre gestão da pandemiaDaniela Reinehr descarta lockdown e proibições, enquanto Carmen Zanotto quer foco em vacinação – Foto: Leo Munhoz/ND

Na visão da governadora, as pessoas têm restrições para lidar em suas vidas atualmente. Ela fez alusão ao uso de máscaras e necessidade de distanciamento social.

“Desde o início, tenho falado que temos que observar muito. Poderão existir momentos de retrair e de avançar. A ideia é não fechar, a gente vem vivendo mais de 12 meses de um conflito constante entre saúde e economia, essa ideia não pode mais ser considerada adequada. Precisamos evoluir, para que tudo funcione harmonicamente”, disse Reinehr.

A governadora tomou posse na última terça-feira (30), depois do afastamento de Carlos Moisés, no processo de impeachment motivado pela compra fraudulenta dos respiradores da Veigamed.

Em coletiva de imprensa, governo catarinense descarta lockdown e proibiçõesGoverno catarinense chamou coletiva de imprensa para falar sobre rumos da gestão interina na condução da pandemia – Foto: Leo Munhoz/ND

Reinehr anunciou mudanças no secretariado, entre elas, a troca de André Motta Ribeiro na SES (Secretaria de Estado da Saúde), por Carmen Zanotto. Para Reinehr, entretanto, é importante tirar o foco da Covid-19.

“Precisamos olhar a situação como um todo e não a Covid isoladamente. As necessidades de saúde não são apenas Covid. Precisamos para outras áreas de saúde que, infelizmente, ficaram um pouco de lado, até na percepção das pessoas, porque não se falou mais”, reforçou a governadora.

O que esperar de Zanotto na Secretaria da Saúde

Questionada sobre qual perfil vai priorizar no comando da Secretaria, se o lado enfermeira ou o parlamentar, Carmen Zanotto disse que é uma parlamentar licenciada nas últimas horas.

“O bom técnico segue como bom político e o bom político segue como bom técnico”, disse Zanotto.

Sobre o lockdown, Zanotto pensa que não se pode ter uma regra única e, determinadas cidades, podem precisar se reestruturar. Ela citou o exemplo de Chapecó.

“Aquela parada foi estratégica para organizar os serviços e acolher os pacientes”.

Prioridades

Segundo a nova Secretária, a prioridade é implementar vacinas. Ela disse que vai buscar garantir que pacientes ainda aguardando vaga de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) tenham hospitais à disposição, com estrutura, equipamentos e recursos humanos. Ela quer ativar mais leitos de UTI e não focar tanto em leitos de enfermaria.

“Precisamos olhar para esses 280 pacientes, hoje, que estão aguardando uma vaga em leito de UTI. Vamos ter todos? Não! Por isso, a tarefa de todos nós é evitar ainda mais casos graves, que precisem ir pra UTI”, ressaltou Zanotto.

O destino da nova remessa de vacinas

Sobre a nova remessa de vacinas para Covid-19 que o Estado recebeu, Zanotto explicou que serão usadas para a segunda dose de pacientes que foram vacinados com imunizantes dos lotes oito, nove e dez da Coronavac.

Este foi o maior lote que o Estado recebeu de uma só vez: 309 mil doses. Ao todo, Santa Catarina recebeu 1.328.040 doses de vacina contra Covid-19.

“Do quantitativo que chegava, 50% ficava na SES, para garantir que, no momento adequado, aquele público que recebeu a primeira dose, recebesse a segunda. A partir dos lotes oito, nove e dez, passamos a utilizar 100% das doses”, explicou Zanotto.

Maior lote de vacinas contra Covid-19 chegou em Santa Catarina nesta quinta-feira (1º) – Foto: Divulgação/NDMaior lote de vacinas contra Covid-19 chegou em Santa Catarina nesta quinta-feira (1º) – Foto: Divulgação/ND

Pessoas imunizadas com as vacinas AstraZeneca que chegaram em janeiro e fevereiro também devem receber a segunda dose com a remessa que Santa Catarina recebeu nesta quinta-feira.

“A nossa força-tarefa é busca ativa daqueles que não foram vacinados, nenhuma vacina parada, se possível, em nenhum município catarinense. Se faltar vacina, significa que aplicamos tudo o que recebemos, conforme o PNI (Plano Nacional de Imunização).

Decretos

Na coletiva, nem a governadora, nem a secretária anteciparam novas medidas para o enfrentamento à Covid-19, ou os futuros decretos. Reinehr destacou que, qualquer mudança deve ser feita somente após consulta ao Coes (Centro de Operações de Emergência em Saúde), conforme decisão judicial.

Carmen Zanotto informou que uma reunião do Coes deve ocorrer no sábado (3). A partir daí, podem vir novas medidas. A nova secretária precisa se inteirar melhor sobre os assuntos.

“Será uma reunião dando continuidade ao que se discutiu durante a semana. Tudo isso a gente vai procurar se inteirar, procurar seguir toda a legislação, o rito, e com diálogo e construção. A gente precisa trabalhar bastante essa questão dos encaminhamentos”.

Vacinação

Questionada sobre possíveis mudanças no PNI, trazendo outros grupos para as fases prioritárias, Zanotto disse que isso ocorreu quando foram incluídos os profissionais de segurança pública na vacinação.

A enfermeira Carmen Zanotto, agora é deputada federal licenciada e aceitou o terceiro convite para assumir a gestão da SES – Foto: Câmara dos Deputados/divulgação/NDA enfermeira Carmen Zanotto, agora é deputada federal licenciada e aceitou o terceiro convite para assumir a gestão da SES – Foto: Câmara dos Deputados/divulgação/ND

“Um pouco de vacina já chegou para esse grupo, mas são 1.200 doses e serão aplicadas com critérios de prioridade: quem está conduzindo pacientes com Covid, quem está no atendimento pré-hospitalar, até chegar no grupo que está fazendo segurança e combate à pandemia”, disse Zanotto.

O convite para a Secretaria

Durante a coletiva, Zanotto também explicou porque aceitou, somente na terceira vez, o chamado para assumir a SES. Além de um convite de Moisés, Zanotto também foi convidada por Reinehr quando ela assumiu o governo em outubro de 2020. Segundo a nova secretária, o momento que o Estado vive é muito diferente.

Autoridades que gerenciam a pandemia em Santa CatarinaCarmen Zanotto usou a palavra mais tempo que a governadora. Ao fundo na foto, Eduardo Macário, da DIVE, e Rogério Ribeiro, representante do Ministério da Saúde no Estado. – Foto: Leo Munhoz/ND

“Aqueles que me acompanham sabem que não me furtei de ajudar o Estado. Neste terceiro convite, o que contou não foi a posição político-partidária, mas se eu, como mulher, enfermeira, gestora, tinha o direito de me negar a vir para essa missão”, salientou Zanotto.

Além da governadora e da nova secretária, a coletiva teve as presenças do diretor de Vigilância Epidemiológica, Eduardo Macário, e do superintendente do Ministério da Saúde em Santa Catarina, Rogério Ribeiro. A secretária termina o dia em reunião com o Ministério da Saúde e o Governo Federal.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Política SC