Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


Mais uma vez o governador Moisés não participou da audiência pública promovida pela Assembleia

Essa é a segunda edição da audiência pública para tratar do enfrentamento ao Covid 19. Como fazia anteriormente com os secretários Douglas Borba e Lucas Esmeraldino, o governador Moisés tem agora quem responda por ele, é o secretário da Fazenda Paulo Eli, que na audiência deixou claro que senão viesse dinheiro da União não teria como pagar o funcionalismo. A reação da deputada Ada de Luca foi imediata: “Diante dessa explicação do governo, infelizmente, vemos que não sobrará muito recurso para o que realmente precisamos, que é o combate ao coronavírus.” A deputada sem resposta convincente continuou questionado sobre os R$ 2.4 bilhões enviados pelo Governo Federal sendo R$ 1 bilhão só refinanciamento da dívidas. Já a deputada Luciane Carminatti cobrou a necessidade de ampliar a testagem em SC e a demora na resposta , que leva no mínimo 15 dias. Num determinado momento a parlamentar desligou a câmera e depois explicou que foi para chorar. “Nós estamos com impeachment, CPI, pandemia piorando e hospitais em desespero. Precisamos firmar um pacto para ter ação mais efetiva de Saúde no Estado. Temos de exigir gestão mais eficiente, corresponsável, com diálogo e transparência entre governo federal, estado e municípios. Não basta mandar dinheiro, tem que ter gestão para não faltar medicamentos e profissionais.” A sensação que passou e que o governo continua no básico e nos paliativos sem ter o controle absoluto da situação e muito menos a liderança. Preocupa e assusta.

+

Paulo Alceu