Personalidades da política lembram carreira e homenageiam Adelmar Sabino

A missa de 7º dia em memória do Ex-Diretor Geral da Câmara Federal ocorre nesta quinta-feira (19), às 19h30, na Igreja São Luiz

“Testemunho a coadjuvação diuturna e esclarecida dos funcionários e assessores, abraçando-os nas pessoas de seus excepcionais chefes, Paulo Affonso Martins de Oliveira e Adelmar Sabino”. Este é o trecho do discurso do então deputado Ulysses Guimarães, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, por ocasião da promulgação da Constituição Federal de 1988, em reconhecimento ao trabalho do catarinense Adelmar Sabino, na época diretor-geral da Câmara dos Deputados. Ele morreu na última sexta-feira (13), aos 82 anos, em Florianópolis.

Adelmar Sabino (à direita) e Mario Petrelli (à esquerda) – Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/NDAdelmar Sabino (à direita) e Mario Petrelli (à esquerda) – Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/ND

Sabino era visto pelos parlamentares catarinenses da época com forte influência no funcionamento da Câmara.  Além de ser uma espécie de anfitrião, principalmente para os deputados novatos.

O ex-presidente da República e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, fez questão de homenagear o serviço prestado por Adelmar Sabino ao país. Ele lamentou a morte do catarinense.

“Lamentei quando soube há poucos dias do falecimento do queridíssimo dr. Sabino. Quando cheguei na Câmara dos Deputados em 1987, logo em seguida conheci dr. Sabino. Nas três vezes que fui presidente da Câmara tive um apoio extraordinário. Os grandes problemas da Câmara, de natureza administrativa, e muito de condição política das questões internas da Câmara, Sabino conseguia encaminhar”, lembrou o ex-presidente.

Para Temer, Sabino foi um fraterno amigo e prestou um serviço relevante ao Brasil. “Era muito animado, muito entusiasmado, muito otimista. De onde você estiver, receba meu abraço”, finalizou.

Para o ex-senador catarinense Jorge Bornhausen, Sabino teve grande influência na Câmara Federal como secretário-geral e tinha um jeito simples de lidar com as pessoas. “Sempre foi uma pessoa simples afável e influente”, disse ele, ao destacar que Sabino teve um “papel importante na instalação de um grande hospital em Brasília”. O Incor (Instituto do Coração), com sede em São Paulo, abriu uma unidade na Capital Federal.

“Não exagero dizer que Adelmar Sabino foi à alma de funcionamento, de operacionalização dos trabalhos da Câmara dos Deputados. Além de ser um embaixador catarinense, com elegância, com educação, e acima de tudo com competência. Ele sempre deu tranquilidade e sempre foi um respeitoso anfitrião dos novatos. Deixou um legado de extraordinário serviço público”, disse o senador Espiridião Amim (PP).

O ex-deputado federal catarinense, Ruberval Pilotto, enalteceu a visão administrativa que Sabino tinha da Câmara. “Ele foi um exemplo de diretor”, frisou. Para Pilotto, Sabino foi um grande catarinense por vias normais e políticas, já que sempre buscou auxiliar o Estado de Santa Catarina. “Ele nos deixa uma grande lacuna, acima de tudo de visão, de trabalho e de um homem que foi competente ao dirigir a Câmara mais alta do Poder Legislativo do Brasil”.

O ministro chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, também se manifestou sobre o trabalho de Adelmar Sabino na Câmara. “Dirigiu a Câmara dos Deputados com um olhar para o futuro e deixou um exemplo de dedicação ao serviço público. Estava sempre disposto a auxiliar não só parlamentares e servidores, mas também se voltou para fortalecer a Câmara como a Casa do Povo.

“A imagem que tenho dele é de uma pessoa com jeito simples, mas firme no gerenciamento de uma grande estrutura; ele era absolutamente comprometido com a Instituição, essa é a minha lembrança dele”, completou Ciro Nogueira que é senador licenciado, e foi deputado federal pelo Piauí entre 1995 a 2011.

Oscar Niemeyer (centro), ex-senador Antônio Carlos Magalhães (à direita) e Adelmar Sabino (à esquerda) – Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/NDOscar Niemeyer (centro), ex-senador Antônio Carlos Magalhães (à direita) e Adelmar Sabino (à esquerda) – Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/ND

Adelmar Silveira Sabino nasceu em Florianópolis em 1940. Começou a trabalhar na Câmara dos Deputados em 1961, como escriturário na Diretoria de Pessoal, e aposentou-se em 2001, como diretor-geral. Nos 40 anos de Casa, ocupou diversos cargos, como chefe de gabinete do quarto-secretário, diretor do Departamento de Comissões e diretor administrativo, além de diretor-geral a partir de 1983. No período de 1987-88, ocupava o cargo de diretor-geral, sendo responsável por todo o apoio administrativo aos trabalhos da Constituinte.

Após se aposentar do Legislativo, Adelmar Sabino foi diretor presidente da Infraero (Empresa Brasileira Infraestrutura Aeroportuária) e depois do INCOR em SP. Também foi consultor e amigo do fundador do Grupo ND em Santa Catarina e Grupo RIC no Paraná, Mário José Gonzaga Petrelli.

A missa de 7º dia em memória de Adelmar Sabino ocorre nesta quinta-feira (19) às 19h30 na Igreja São Luiz, no bairro Agronômica, em Florianópolis.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Política SC

Loading...