Próximos passos para a decisão do futuro de Santa Catarina

Nova sessão da Alesc, nesta sexta-feira (23), pode decidir pelo afastamento do atual governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL)

Com a aprovação do PDL (Projeto de Decreto Legislativo) 11/2020 na terça-feira  (20), o segundo pedido de impeachment do governador Carlos Moisés entra em uma nova etapa: o julgamento do chefe do Executivo por um tribunal misto composto por cinco deputados e cinco desembargadores.

Próximos passos para a decisão do futuro de Santa Catarina – Foto: Mauricio Vieira/NDPróximos passos para a decisão do futuro de Santa Catarina – Foto: Mauricio Vieira/ND

O trâmite do processo é o mesmo do primeiro pedido de impeachment, que trata do reajuste dos procuradores do Estado, e deverá ter continuidade mesmo que Moisés e Daniela Reinehr sejam afastados por até 180 dias no julgamento marcado para esta sexta-feira.

De acordo com o ato da mesa 221, de 24 de julho de 2020, com a aprovação em plenário, o PDL 11/2020 será promulgado, transformado em decreto legislativo pelo presidente da Assembleia e publicado no Diário Oficial do Legislativo.

O presidente da Alesc encaminhará ao presidente do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina), Ricardo Roesler,  todo o processo para que seja dada sequência ao procedimento.

Tensão

Todos os setores da sociedade, seja do meio econômico ou político, movimentos sociais e instituições públicas e privadas, estão aguardando o desfecho que deverá sair amanhã na Alesc.

O tribunal de julgamento, cujos olhares tem sido a principal observação de tudo e todos, está cercado de dúvidas e comentários recheados de perguntas.

Os desembargadores e deputados que vão votar e direcionar os destinos do governador e da vice sabem exatamente o que estão decidindo. Todos, preparados para a função, não tem por que alterar o calendário aguardado. Tudo o que ocorrer, seja a favor ou contra, deve ser conhecido em seu fim. Quanto mais estica, mais o cidadão indigna-se. Ou é 8 ou 80.

Marcos Schettini, www.lenoticias.com.br/marcos-schettini

Nossos contrastes

SC seguirá ostentando a marca de Estado mais azul (águas limpas) do Brasil na próxima temporada de verão. É que o júri internacional do programa Bandeira Azul renovou a certificação de oito praias e duas marinas catarinenses.

Também aprovou outras três praias do Estado, elevando de 10 para 13 selos socioambientais em relação ao último ano. Ótima notícia, não? Pena que daqui a uns dias o IMA (Instituto do Meio Ambiente) começará a tornar públicos aqueles tenebrosos relatórios listando dezenas de praias, em todo litoral do Estado, impróprias para banho.

Voltaremos a lembrarmos de Belíndia, um país fictício, ambíguo e contraditório, resultante da conjunção da Bélgica com a Índia, com leis e impostos do primeiro, pequeno e rico, e com a realidade social do segundo, imenso e pobre. É um termo popularizado pelo economista brasileiro e ex-presidente do BNDES, Edmar Lisboa Bacha.

Raul Sartori, www.raulsartori.com.br

+

Política SC