Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Revisão do Plano Diretor de Florianópolis provoca racha no Conselho da Cidade

Entidades divulgam posicionamento pedindo "uma participação mais plural da sociedade" nessa discussão

Entidades que fazem parte do Conselho da Cidade, muitas de representação dos bairros de Florianópolis, estão alertando “para a falta de discussão pública sobre a revisão do Plano Diretor de Florianópolis”.

Proposta de revisão do Plano Diretor está em tramitação no Conselho da Cidade de Florianópolis – Foto: Daniel Queiroz/Arquivo/NDProposta de revisão do Plano Diretor está em tramitação no Conselho da Cidade de Florianópolis – Foto: Daniel Queiroz/Arquivo/ND

Em documento enviado à coluna, os representantes alegam que, em reunião polêmica no mês de fevereiro, foram alijados do grupo de trabalho criado para análise do texto enviado pelo Executivo e pedem “uma participação mais plural” da sociedade nessa etapa.

Além de defenderem o direito à serem incluídos na discussão, as entidades entendem que o crescimento da Capital “precisa ser compatível com a infraestrutura existente e com o respeito ao meio ambiente, e que é fundamental ouvir as comunidades que serão afetadas”.

Além disso, consideram ainda que, por conta da pandemia, não seria momento oportuno que o assunto entre em pauta agora. Eles também argumentam que “uma versão da proposta tramitou em regime de urgência na Câmara e foi rejeitada pelos vereadores em janeiro, o que mostra que as alterações ao plano estão longe de ser unanimidade e provocam muita divergência”.

A manifestação é um contraponto ao manifesto divulgado na última sexta-feira por 10 entidades, entre elas a Acif (Associação Empresarial de Florianópolis), o Floripa Sustentável e a OAB/SC, com posição de apoio às decisões do Conselho da Cidade nesse processo de revisão.

“O fato inescapável é que a cidade seguirá crescendo. Cabe às autoridades e à sociedade civil encontrarem os meios de garantir que essa expansão seja organizada. É no âmbito do Conselho que os debates ocorrem, de forma aberta e democrática”, afirmam.

Quem assina o manifesto:

ENTIDADES DE REPRESENTAÇÃO DIFUSA
Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
União Florianopolitana de Entidades Comunitárias – UFECO
Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado de Santa Catarina – SASC

ENTIDADES REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA POR SETORES DO MUNICÍPIO
Associação dos Amigos do Parque da Luz – AAPLUZ
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Setor Insular

Associação dos Moradores do Porto da Lagoa – AMPOLA
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Leste da Ilha

Associação de Moradores de Ratones – AMORA
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Região Oeste

Associação dos Moradores do Loteamento Recreio Santos Dumont – AMOSAD
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Sul da Ilha

Conselho Comunitário de Capoeiras – C. C. CAPOEIRAS
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Distrito Sede Continente

Conselho Comunitário Jardim Cidade Universitária – CONJARDIM
Representante da Sociedade Civil Organizada por Setores do Município – Setor Insular

AMOCAM Associação de Moradores do Campeche

AMOFORT Associação de Proprietários, Moradores e Amigos do Balneário de Jurerê – Loteamento Praia do Forte.

AMAREIAIS Associação de moradores das Areias do Morro das Pedras

AMOBICI Associação Mobilidade por Bicicleta e Modos Sustentáveis

CODEN Conselho Comunitário da Costa de Dentro

AMOSERTAO Associação dos Moradores Barreiros do Ribeirão

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.