Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


VÍDEO: Prévias escancaram que MDB-SC vive profunda crise de liderança

Considerando as prévias e o resultado das eleições de 2018 e comparando com 2022, chega-se à conclusão de que: nada é tão ruim que não possa piorar

A decisão sobre o candidato a candidato do MDB ao governo do Estado está chegando mais perto. Ou não.

Na verdade, a grande aposta do partido – aposta/sonho, o governador Carlos Moisés – está aquecendo na beira do gramado.

🔥Siga o blog e acompanhe a política de SC em tempo real

Se inscreveram quatro nomes e restaram três, vamos a eles

Antídio Lunelli, Dário Berger e Valdir Cobalchini – Foto: Divulgação/NDAntídio Lunelli, Dário Berger e Valdir Cobalchini – Foto: Divulgação/ND
  • Antídio Lunelli, prefeito de Jaraguá do Sul
    • Teve o nome envolvido em um suposto escândalo sexual do ano 2009. A publicação da notícia impactou, ele perdeu fôlego, mas confirmou o registro. Inclusive, com uma manifestação dura aos críticos.
  • Dário Berger, senador
    • Até ontem – força de expressão – iria para o PSB, mas também confirmou a inscrição. Vai que cola, se vencer continua, se perder sai.
  • Paulo César Rodrigues, advogado
    • No dia seguinte à inscrição, desistiu. Sabe-se que é advogado em Laguna, cidade onde o MDB foi devassado por escândalos de corrupção. Perdeu a prefeitura com Mauro Candemil, que concorria à reeleição, e teve até vereador preso.
  • Valdir Cobalchini, deputado federal
    • Até então candidato a deputado federal, se inscreveu para o governo do Estado. Jura de pé junto que é para valer. Ao longo do mandato, defendeu mais as pautas de Carlos Moisés do que as próprias. Por isso, é apontado como um nome que estaria guardando lugar para o governador.

Importante dizer que o regulamento das prévias impediu inscrições de filiados com menos de seis meses de adesão ao partido. Por isso, Moisés sequer teria chances de entrar na disputa.

Assista ao comentário para o SC no Ar

MDB-SC vive crise de liderança

MDB de Santa Catarina vive uma crise de liderança que se reflete nas prévias de sábado (19).Principal aposta não está no partido: Carlos Moisés#táemalta #opinião #comentário #sc #scnoar NDTV Record TV ND Mais

Posted by altamagagnin on Sunday, February 13, 2022

Prévias descredibilizadas

As prévias do MDB estão totalmente descredibilizadas.

Os três nomes chegam absolutamente fragilizados à convenção do próximo sábado (19). O MDB vive uma falência de liderança. Desde a morte de Luiz Henrique da Silveira, o partido definha. Ainda é um gigante, mas definha.

A grande liderança que Luiz Henrique formou não foi no MDB, foi no PSD: Raimundo Colombo.

O MDB tem bons nomes: Dário, Cobalchini, Mauro de Nadal, Carlos Chiodini, mas nenhum pronto para arrastar a militância como os líderes de antigamente – do velho manda brasa.

O que dizer de Celso Maldaner, deputado federal e presidente estadual da legenda. Afirmou que era candidato até o penúltimo dia – no último dia – desistiu.

Se em 2018 o MDB já estava mal, entre Eduardo Moreira e Mauro Mariani – prova é que ficou fora do segundo turno – nada é tão ruim que não possa piorar.

Participe do grupo e receba as principais notícias
das Eleições 2022 na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...