Afastamento do controlador-geral do Estado é aprovado pela CPI dos Respiradores

Para deputados, Luiz Felipe Ferreira não teria mais condições de continuar no cargo, por não ter tomado as medidas para evitar as irregularidades na compra dos respiradores

Os membros da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Respiradores aprovaram, em reunião de trabalho realizada na manhã desta quinta-feira (25), requerimento com o pedido de afastamento do controlador-geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira.

CPI dos respiradores pediu afastamento de Luiz Felipe Ferreira – Foto: Agência Alesc/DivulgaçãoCPI dos respiradores pediu afastamento de Luiz Felipe Ferreira – Foto: Agência Alesc/Divulgação

O documento deve ser submetido à apreciação do Plenário da Assembleia Legislativa na próxima terça-feira (30) e, se aprovado, encaminhado ao governador Carlos Moisés da Silva (PSL).

Para os integrantes da CPI, a partir dos dois depoimentos que Ferreira prestou à comissão, ficou evidenciado que o controlador não teria mais condições de continuar no cargo.

O principal motivo, conforme a comissão, é por não ter tomado as medidas e precauções para evitar as irregularidades administrativas internas na SES (Secretaria de Estado da Saúde), que culminaram com a aquisição dos 200 respiradores com pagamento antecipado de R$ 33 milhões e sem garantia de entrega.

Leia também:

“Houve inconsistência, falta de profundidade, falta de clareza em todos os seus depoimentos, contrariando os princípios que norteiam a administração pública, dos quais ele deveria ser o guardião, tendo em vista o cargo que ele ocupa”, afirmou o presidente da CPI, deputado Sargento Lima (PSL), sobre o controlador-geral.

Vazamento

Conforme os deputados, pesa também contra Ferreira o fato de não ter conseguido evitar o vazamento das conclusões de uma sindicância interna no governo e na Secretaria de Estado da Saúde. O documento aborda a apuração de irregularidades, cuja entrega oficial à CPI estava prevista para esta quinta-feira.

“O controlador-geral do Estado não consegue controlar sua equipe e nem a si mesmo”, ironizou o relator da CPI, deputado Ivan Naatz (PL).

Os deputados envolvidos na CPI ainda não receberam o relatório citado por Ferreira em depoimento. Segundo ele, o documento aponta a responsabilidade dos servidores na compra e pagamento dos equipamentos. Na fala na Alesc, ele disse que daria publicidade ao relatório após recebê-lo.

Próximos depoimentos

A próxima reunião da CPI será na terça-feira (30), a partir das 17h, com a retomada dos depoimentos.

Além do chefe da Casa Civil do Estado, Amândio João da Silva Júnior, também foram convocados o responsável pelo Controle Interno e Ouvidoria da Secretaria de Estado da Saúde, Frederico Tadeu da Silva, e o gerente de Execução Financeira da Pasta, Tyago da Silva Martins.

Ainda são aguardadas para a próxima semana as oitivas da controladora-geral adjunta do Estado, Simone de Souza Becker, e do representante da Brazilian Trade, Cauê Lopes Martins.

+ Política