Casan assina financiamento com a Caixa para investir R$ 404 milhões em saneamento no Estado

R$404,2 milhões serão aplicados em seis municípios até 2015, a intenção é ampliar a cobertura de esgoto sanitário no Estado de 18% para 45%

Rosane Lima/ND

O governador Raimundo Colombo assina financiamento para investir em saneamento básico

O governador do Estado, Raimundo Colombo; o presidente da Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), Dalírio Beber; o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro; e a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, assinaram, ontem, financiamento com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 404,7 milhões.

Esse valor será investido na ampliação do saneamento básico em  seis municípios de Santa Catarina. Esses recursos fazem parte do montante de R$ 1,4 bilhão que a Casan pretende investir em água e esgoto no Estado nos próximos três anos.

Nesta etapa, serão beneficiadas as cidades de Florianópolis, São José, Biguaçu, Criciúma, Concórdia e Rio do Sul. A Capital receberá R$ 196 milhões do total financiado. Cerca de R$ 150 milhões serão investidos no sistema de esgoto, e o restante será aplicado na ampliação das estações de tratamento de água, com reforço na produção e rede de distribuição. A meta é aumentar a cobertura de saneamento básico de 55% para 75% de abrangência em Florianópolis até o fim de 2015.

Os recursos são resultado de projetos da Casan, que foram encaminhados e aprovados pelo Ministério das Cidades e fazem parte da segunda etapa do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Segundo Dalírio Beber, o valor financiado deve ser devolvido ao governo federal em até 20 anos.

“Nossos indicadores de saneamento estão longe do ideal, mas estamos avançando em direção à universalização. A expectativa é que 100% da Capital seja atendida com saneamento entre 2022 e 2025. Queremos que o índice seja compatível ao desenvolvimento econômico e social do Estado”, afirmou.

Parcerias e resultados

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, ressaltou a importância das parcerias com estados e municípios, afirmando que, desta forma, é possível maximizar recursos e transformar os projetos do papel para ações concretas. Para Ribeiro, o investimento em saneamento básico está diretamente relacionado à qualidade de vida.

“Santa Catarina é um polo turístico importante. É preciso investir no saneamento porque é uma forma de proporcionar saúde preventiva e, por consequência, qualidade de vida aos moradores da região e turistas”. O ministro disse ainda que há previsão de novos investimentos na Capital até o fim deste ano, provavelmente na área de habitação.

Valter Nunes, diretor executivo da Caixa Econômica Federal, alertou especialmente para os indicadores de Santa Catarina. “O Estado tem os melhores indicadores em diversas áreas, mas no saneamento precisa melhorar. É um dos itens que deixa a desejar. Sabemos que a Casan tem planejamento a longo prazo. Estes recursos apenas dão início ao projeto. Estamos dispostos a novas parcerias, cremos que é só o primeiro impulso”, disse.

INVESTIMENTOS

Florianópolis

Investimento: R$ 196 milhões

Aplicação dos recursos: Cerca de R$ 150 milhões investidos na ampliação do sistema de esgoto para os bairros Abraão Capoeiras, Vila Aparecida e Montecriso; emissários terrestres entre o Ribeirão da Ilha e o Campeche, até Santo Antônio de Lisboa; ampliação de sistema de esgoto para Lagoinha e Praia Brava, no norte da ilha; implantação de emissário submarino na praia do Campeche com efluentes do sul da Ilha. Cerca de R$46 milhões investidos na ampliação da estação de tratamento de água do Morro dos Quadros, que terá vazão ampliada em 50%, passará de dois para três mil litros por segundo; implantação de uma macroadutora na região do Itacorubi

São José

Investimento: R$ 20,641 milhões

Aplicação dos recursos: Construção de três reservatórios de água ampliando a reservação em 14 milhões de litros;

Ampliação do sistema de esgotamento sanitário em diversos bairros, incluindo Floresta, Bela Vista II, Ipiranga, Centro Histórico e Ponta de Baixo.

Biguaçu

Investimento: R$ 39,302 milhões

Aplicação dos recursos: Implantação do sistema de esgotamento sanitário, hoje inexistente. O projeto prevê o assentamento de 52 mil metros de rede coletora, execução de 5.718 ligações domiciliares e construção de 13 estações elevatórias e uma estação de tratamento de esgoto.

Criciúma

Investimento: R$48,794 milhões

Aplicação dos recursos: Projetos de reestruturação do sistema de abastecimento de água;

Ampliação em 50% do sistema de esgotamento sanitário do bairro Próspera.

Concórdia

Investimento: R$ 25,188 milhões

Aplicação dos recursos: Implantação do sistema de esgoto sanitário, hoje inexistente, com uma cobertura de 55% da região no término das obras.

Rio do Sul

Investimento: R$ 74,552 milhões

Aplicação dos recursos: Implantação do sistema de esgoto sanitário com cobertura de R$ 85%.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Política