Conexão ND: Ideli Salvatti critica Lava Jato e fala sobre o ex-presidente Lula

Ex-senadora foi a convidada do Conexão ND desta terça-feira (13) e tratou de assuntos da política nacional e um possível convite para participar da presidência, em caso de vitória petista em 2022.

O Conexão ND da última terça-feira (13) contou com a presença da ex-senadora Ideli Salvatti (PT). Em conversa com o jornalista e comentarista do Grupo ND, Paulo Alceu, ela abordou temas da política nacional e fez duras críticas ao ex-juiz Sergio Moro e à Operação Lava Jato.

Ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos do Brasil, entre 2014 e 2015, no governo de Dilma Rousseff, e atual participante do diretório nacional do PT, Ideli, em diversos momentos, defendeu o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Questionada sobre os diversos episódios de roubo de dinheiro público praticados dentro da Petrobras, Ideli Salvatti confessou que houve corrupção dentro da empresa. No entanto, questionou o período da investigação.

“Por que a Lava Jato não quis investigar antes do ano de 2003? Quer dizer que antes era todo mundo santo? Veja bem, quem fez a delação premiada saiu praticamente da cadeia e com muito dinheiro, pagando apenas multa. Não foram funcionários nomeados pelo PT, e sim de carreira da Petrobras, por exemplo, Nestor Cerveró, com mais de 30 anos. Esse povo só roubou de 2003 em diante?”, questionou Ideli Salvatti.

“O inocente e a vítima de tudo isso é o Lula?”, questionou o jornalista Paulo Alceu. Ideli fez duras críticas ao atual sistema judicial e de segurança pública, onde enfatizou a desigualdade social.

“Infelizmente, não é só um que é ruim. O sistema judicial brasileiro é altamente injusto. Assim como os penitenciários e de segurança pública são altamente injustos. Sobre o Lula, qual a prova apresentada? Conforme a Constituição, todos são inocentes até a apresentação de provas. Não pode, como o Moro fez, condenar por fato indeterminado. Isso está na sentença do triplex: fato indeterminado. Está escrito com todas as letras. Como alguém pode ser condenado por fato indeterminado?”, defendeu.

Após a anulação dos processos judiciais em nome de Luiz Inácio Lula da Silva, iniciou as especulações sobre a possibilidade do pestista aparecer como candidato à presidência da República em 2022. Além disso, Ideli Salvatti falou sobre a possibilidade de ocupar um novo cargo, caso ocorra do PT voltar ao Palácio do Planalto.

“Vou seguir no cargo de avó. A fila precisa andar e tem muita gente para se candidatar. Ficamos neste trabalho de bastidores e articulações”, explicou.

+

Conexão ND