Paulo Alceu

Análises qualificadas e comentários assertivos acerca dos assuntos mais relevantes para os catarinenses.


E agora?

Pois é, comentei esta semana no RIC Noticias sobre o convite ao presidente Bolsonaro para embarcar na nova UDN, que está sendo criada. São fortes os rumores em Brasília de que ele está descartando o PSL para se reeleger. Inclusive o presidente do partido, Luciano Bivar, em tom conciliador, considerou uma estratégia do presidente por ser um homem muito intuitivo. Mas é Bivar o centro das críticas. E já percebeu que a saída é praticamente inevitável. Mas não para agora. Mesmo assim acendeu o sinal de alerta, porque não foi o PSL que levou muita gente, sem nenhuma musculatura política , à vitória nas urnas. Foi Bolsonaro, que na verdade não depende de partido. E entre os vitoriosos de ocasião está o governador Moises. Como fica com o presidente deixando o PSL? Todos irão com ele? A deputada Ana Campagnolo e o deputado Jessé , mesmo não falando com eles, acreditou que seguiram Bolsonaro. Quando ameaçados de expulsão do PSL pelo governador, eles reagiram dizendo que estavam sintonizados com o presidente por isso contrários a medidas do governo estadual. Ou seja, o partido pouco importa nesse contexto, pois Bolsonaro chegou ao Planalto como antídoto do que estava por aqui.