Em jantar com Bolsonaro, Trump diz que não fará promessas

Crise na Venezuela e os interesses econômicos dos dois países foram os temas tratados pelas duas autoridades

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesse sábado (7) com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no resort de Mar-a-Lago, no sul da Flórida. A crise na Venezuela e os interesses econômicos dos dois países foram os temas tratados pelas duas autoridades, segundo fontes do alto escalão do governo dos EUA.

18/03/2019 – O primeiro encontro entre Jair Bolsonaro e o presidente Donald Trump, dos Estados Unidos, foi marcado elogios e afinidades – Foto: Reprodução/Facebook

Logo na chegada, Trump fez uma aparição de um minuto do lado de fora do resort para posar com Bolsonaro frente às câmeras. O americano fez elogios ao presidente do Brasil, mas disse que não prometeria poupar o País da imposição de tarifas em nome da boa relação. “Ele está fazendo um grande trabalho. O Brasil o ama, e os EUA o amam”, afirmou o presidente americano.

Leia também:

Jornalistas questionaram se Trump poderia impor tarifas a produtos brasileiros, como ameaçou fazer em dezembro com o aço importado do Brasil. A ameaça não se concretizou na época após negociações entre as diplomacias dos dois países.

Trump respondeu à pergunta falando sobre a amizade e o bom relacionamento com o Brasil, mas afirmou: “Eu não faço promessas”.

O Planalto divulgou um trecho do encontro no qual Trump diz a Bolsonaro que “deu um grande presente” ao brasileiro ao não cobrar tarifas (sobre o aço). “Isso o tornou muito mais popular”, disse Trump.

O jantar aconteceu em um restaurante aberto em Mar-a-Lago, sem área reservada para os dois presidentes, e outros convidados sentados em mesas ao redor.

A imprensa foi levada para fazer imagens da mesa de jantar, onde Trump novamente elogiou Bolsonaro: “ele é um homem sensacional”.

Bolsonaro disse estar “muito feliz” de estar no encontro. “É uma honra pra mim e para o meu país. Eu tenho certeza que num futuro próximo é muito bom contar com um bom relacionamento de direita”. Esta é a quarta visita de Bolsonaro aos EUA.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

+

Política