“Em nenhum momento Sergio Moro diz que cometi crime”, diz Bolsonaro

Presidente mostrou o celular e troca de mensagens com o ex-ministro da Justiça para tentar desqualificar acusações de interferência na Polícia Federal

Na tarde desta terça (5), o presidente Jair Bolsonaro falou com a imprensa na entrada do Palácio do Planalto e repercutiu o depoimento de Sérgio Moro, que foi divulgado há poucas horas. O presidente disse que ainda não leu as dez páginas, mas ressaltou que “parece que em nenhum momento ele diz que eu cometi crime”.

Bolsonaro falou sobre depoimento de Moro – Foto: Ueslei Marcelino/ReutersBolsonaro falou sobre depoimento de Moro – Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Bolsonaro disse ainda que a “verdade está sendo restabelecida” e, para rebater o ex-ministro, mostrou seu celular e uma troca de mensagens com Moro. O presidente tentou, assim, desqualificar a acusação de que queria interferir na Polícia Federal ao sugerir a troca do superintendente a Moro.

Numa das mensagens anteriores, o próprio ex-ministro diz que era “fofoca” a notícia de que a PF estaria em busca de deputados bolsonaristas.

Leia também:

Como se sabe, nesta segunda (5), Bolsonaro apareceu com um cartaz dizendo que o depoimento de Moro continha fofocas. “Isso é fofoca. O Moro disse que isso é fofoca, porque ele tem informações privilegiadas. Não tem nome de deputado nenhum, nem de Carlos Bolsonaro. Sinal que ele teve acesso ao processo e diz que é fofoca”.

O presidente foi além: “em nenhum momento eu pedi relatório de inquérito. Isso é mentira deslavada”.

Bolsonaro falou ainda que “lamento o destino de Sérgio Moro, com o passado que tem, caçando corruptos, bandidos, acabar assim”. O presidente comentou também que Moro “teve uma boa atuação no governo, e em outros momentos deixou a desejar”.

Ainda ressaltou que o Ministério Público vai investigar tudo, “ouvir ministros e outras pessoas para ver se cometi algum crime”.

Sobre a acusação de que participou, no último domingo (3), de manifestações antidemocráticas, o presidente declarou que foi “um movimento espontâneo e eu estava na minha casa. Na minha frente ninguém falou em fechar congresso, STF. Foi o povo na rua. Tinha alguns cartazes, mas nada além disso”.

+

Política

Loading...