Em primeiro dia de programa na TV, Doria faz mea-culpa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – No horário eleitoral dos candidatos ao governo de São Paulo que foi ao ar pela primeira vez nesta sexta-feira (31), o candidato tucano, João Doria (PSDB) fez um mea culpa por ter saído antes do fim do mandato de prefeito de São Paulo.

“Reconheço que alguns de vocês estão chateados comigo. Eu respeito”, disse Doria.

Ele afirmou ainda que, como ex-prefeito, sabe que “é bom ter trânsito com governador”. O tucano afirmou que, se eleito, pretende ajudar administradores das cidades paulistas e poderá “trabalhar para mais pessoas”.

“É por isso que eu decidi me candidatar a governador, mesmo sabendo os riscos desta eleição.”

No programa, ele prometeu levar a todo o estado os projetos “que deram certo na capital”. “[Se eleito] Vou ter mais força para ajudar o prefeito Bruno Covas a cumprir os compromissos que assumimos em 2016.”

Ele ainda reciclou seu mote de campanha , destacando a necessidade de investimento e e mostrando imagens de obras e programas desenvolvidos enquanto estava na prefeitura da capital, como o Corujão da Saúde.

Líder nas pesquisas de intenção de voto, ele foi ainda alvo dos principais opositores, o governador de São Paulo, Márcio França (PSB), e o candidato do MDB, Paulo Skaf.

Numa menção indireta a Doria, o emedebista disse que é preciso manter a palavra e que, se prometeu, tem que cumprir. Ex-prefeito de São Paulo, o tucano se comprometeu a cumprir o mandato até o final, porém deixou a prefeitura após 15 meses no cargo.

Doria, tanto no rádio quanto na TV, pontuou o início de sua biografia com a ditadura militar, abordando o período de forma negativa. O ex-prefeito disse que passou pela morte da mãe, começou a trabalhar aos 13 anos e termina sua biografia como empresário de sucesso.

O governador de São Paulo Márcio França (PSB) aproveitou o formato e simulou um programa de rádio matinal, Rádio 40, falando de sua trajetória política para uma senhora e alfinetando João Doria.

No programa fictício, a ouvinte que se apresenta como Carmela diz que quer saber mais sobre o candidato para não se decepcionar como aconteceu na última eleição na capital, numa crítica direta a Doria, seu principal rival.

Skaf (MDB) voltou a fazer do Sistema S sua vitrine e exaltou a biografia de empresário e presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Em sua propaganda no rádio, ele disse que fará um governo sem qualquer interferência, e entre suas qualidades, disse que assume responsabilidade e que fará um governo de verdade.

+

Política

Loading...