Emenda sobre serviço de táxi causa polêmica em Joinville

A emenda que poderia resolver a polêmica formada sobre a nova lei dos pontos de táxis em Joinville foi questionada pelo Sincavir (Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Joinville) na comissão de Urbanismo da Câmara de Vereadores de Joinville. A proposta do vereador Manoel Bento (PT) propõe que aqueles que detiverem até hoje a propriedade das chamadas placas, antes da vigência da nova lei, terão o direito assegurado de repassar a seus familiares no caso de morte, aposentadoria ou afastamento. Entrando em vigor a nova norma dos táxis, os pontos ficarão com o município nos casos citados de ausência do titular.

Contra
O presidente do Sincavir, Francisco de Assis Marques, entende que a emenda fere a parceria que os taxistas sempre tiveram com a Prefeitura e própria comunidade, colocando em risco a atividade de taxista. Ele ressalta que a permissão do uso do ponto é de 25 anos e que depois deste prazo, o taxista estará desamparado. A comissão de Urbanismo dará o parecer sobre o projeto na quarta-feira, quando poderá manter o projeto com a emenda ou revogar e acatar a proposta do Sincavir.

 Frase
“A emenda não protege  o taxista depois do período de uso e nem aqueles que vierem a adquirir a placa após a nova lei. Nossa profissão é perigosa com o risco de assaltos”. Francisco de Assis Marques, presidente do Sincavir.

Visita
O prefeito de Barra Velha, Claudemir Matias (PSD), levou no dia 30, autoridades do estado e da cidade para passear na orla marítima do município. O objetivo foi mostrar aos convidados a obra da nova calçada da Praia Central, Praia do Costão dos Náufragos e Praia do Costão.O passeio aconteceu após o encontro da 88º Assembleia Geral Ordinária do Conselho de Desenvolvimento Regional -Joinville

Amae
Outro assunto que será resolvido na comissão de Justiça em conjunto com a comissão de Urbanismo será a utilização do antigo prédio da Prefeitura de Joinville. A proposta inicial do Executivo é de que o espaço seja destinado para a Amae (Agência de Água e Esgoto) que arcaria com os custos de reforma do imóvel.

Vigilância
Como a proposta rendeu polêmica pelo fato da Amae ser uma agência independente do Executivo. Para pacificar os ânimos, o vereador Lauro Kalfels (PSDB) propôs que a Vigilância Sanitária Municipal ocupe 50% do prédio. Hoje a vigilância funciona precariamente numa casa que tem vários problemas de estrutura.

Encontro
O prefeito Carlito Merss (PT) se encontrou  com o reitor da Católica de Santa Catarina Robert Burnett na inauguração das instalações na antiga Companhia Wetzel. Ele destacou a importância da chegada da instituição de ensino superior no momento em que Joinville passa por momentos de desenvolvimento econômico e tem a expectativa de novos investimentos do setor produtivo, comércio e áreas de serviços.

Definido
O novo prefeito de Mafra será mesmo escolhido pelos 10 vereadores daqui a 30 dias. A Justiça tinha dúvidas da condução da eleição, mas que ficou esclarecida com a análise da LOM (Lei Orgânica do Município). O então prefeito João Alfredo Herbst, o Jango, perdeu o cargo depois de julgado pelo STJ (supremo Tribunal de Justiça) pelo crime ambiental.

Permanência
Permanece como prefeito em exercício de Mafra o atual presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Sergio Dutra (PR), até a realização das eleições indiretas. É algo que se soma à conturbada história política de Mafra. Nesta eleição somente votam os vereadores, a eleição será por maioria absoluta (sete votos) caso isso não acontece será maioria simples (50% mais um).

Saída
O secretário regional do bairro Fátima (Jarivatuba, João Costa), José Inácio, também está deixando o cargo para disputar a eleição de vereador pelo PT. Em seu lugar assumirá Sérgio Mira, que atualmente é coordenador da regional.

Financiamentos
Os servidores públicos municipais – ativos e inativos (aposentados e pensionistas do Ipreville) – que desejam financiar imóveis acima de R$ 130 mil serão beneficiados com um convênio entre a Prefeitura de Joinville e a CEF (Caixa Econômica Federal). Pode ser financiado imóvel residencial novo, usado, na planta e construção de casa  e geminado. Não precisa ser o primeiro imóvel. Também é possível financiar imóvel na praia.

Taxa
A CEF oferece aos servidores taxa de juros anual diferenciada – de 9,56% para 8,37% (taxa nominal). É preciso se tornar cliente do banco para usufruir da redução. O convênio oferece também carência de seis meses para o pagamento da primeira prestação. Os funcionários da Prefeitura podem financiar até 90% do valor do imóvel, dentro da sua capacidade de pagamento e terão o prazo máximo de 30 anos para quitar a dívida.