Engenheiros começam a fazer vistoria nas rachaduras da Câmara de Vereadores de Joinville

Trabalhos prosseguem até sexta-feira e relatório deve ser entregue na semana que vem

Divulgação Sabrina Seibel

Técnicos fazem avaliação na estrutura do prédio

Uma equipe técnica começou a avaliar oficialmente ontem o prédio da Câmara de Vereadores de Joinville. A vistoria será feita até sexta-feira e um laudo oficial deve ser divulgado no dia 12 ou 13 de dezembro. Os trabalhos começaram pelos locais que apresentam pequenas rachaduras no teto e piso, como as salas da diretoria de TI e comunicação.A perícia técnica está sob a responsabilidade do engenheiro civil Gilberto Luiz, da AD Fidência Análises e Perícias de Engenharia. Está sendo feita uma análise de termografia para identificar os elementos estruturais e manifestações patológicas. Outro teste, de percussão, vai confirmar através de ruídos se há algum problema com placas ou concretos.Também serão conferidos, por meio de um procedimento chamado pacometria, os locais das armaduras. Segundo o diretor-geral da Câmara, Flávio Boldt, a vistoria custará R$ 28 mil. Por enquanto, ninguém fala oficialmente em reformas ou outras melhorias. Segundo o presidente da Casa, vereador Odir Nunes, que ontem estava em viagem, apenas será possível saber o que fazer depois do laudo oficial.Informalmente, empresas de Joinville já confirmaram que foram chamadas para fazer orçamentos da pintura geral do prédio e reforma do muro. E para completar, depois de seis anos inaugurada, a Câmara de Vereadores de Joinville ainda não tem o Habite-se, documento emitido pelos bombeiros. O Habite-se comprova que um prédio é seguro e tem condições de ser ocupado.Ontem o comandante dos Bombeiros Voluntários de Joinville estava em viagem e não comentou o assunto. “Ainda não temos esse documento. Precisamos fazer alguns ajustes, como corrimão”, confirma Flávio.O prédio foi inaugurado pelo então presidente da Câmara e hoje deputado estadual Darci de Matos. O deputado garantiu que não há riscos. “A Câmara foi construída em blocos e é natural que trabalhe. Mas não há problemas”, concluiu. Essa garantia apenas poderá ser dada pela empresa de engenharia, quando divulgar o laudo.

+

Política