Escolha de vice eleito surpreende em Joinville

Rodrigo Coelho não era um dos nomes cogitados

 

Surpresa

A escolha do vice-prefeito eleito Rodrigo Coelho para assumir a Fundação Cultural foi considerada uma surpresa. Ocorre que Rodrigo não tinha a  intenção de assumir nenhum cargo, mas diante de tantas divisões e resistência de alguns nomes, não restou outra alternativa para o prefeito eleito Udo Döhler. Ele entra na cota disponível do PDT. Literalmente, Udo tirou o “Coelho da cartola”.

 

Primeira tarefa

O futuro secretário municipal de Saúde, Armando Pereira, já tem sua primeira missão: instalar ares-condicionados no Hospital Municipal São José. O caso é de extrema urgência para a saúde dos pacientes e o bom trabalho dos profissionais daquele estabelecimento hospitalar. Diante da situação, fica a pergunta se haverá necessidade de licitação ou se poderá haver compra direta dos equipamentos.

Segunda tarefa

A segunda tarefa do futuro secretário será de acalmar os ânimos dos funcionários da saúde que estão simplesmente arrebentados de tanto trabalho. Enquanto durar a greve dos servidores estaduais da saúde, vai sobrar para o município. Outra missão nada fácil para ser encarada na primeira semana de trabalho. Será que até lá, a greve estadual terá acabado?

 

Cuidados

O prefeito eleito Udo Döhler orientou os futuros secretários a escolherem com cuidado seus assessores. Udo entende que a escolha é livre dos secretários, mas deve ser feita dentro de normas de trabalho (qualificação) e até de moral. Algo importante nesta fase de definições, demonstrando que a futura administração está evitando aquele famoso QI (Quem Indicou) ou mesmo imposições partidárias.

Expectativa

Como será que estarão as nossas ruas hoje com o feriado de Natal? A rua Ottokar Doerffel que serve de acesso a BR 101 é geralmente uma das mais movimentadas, mas raramente tema presença de um agente do Ittran (Instituto de Trânsito e Transporte de Joinville). Hoje é um dia que promete ser bastante tumultuado e que merece a atenção do instituto naquele ponto da cidade.

 

 

Vereadores

É bom lembrar que hoje a Câmara de Vereadores de Joinville poderia ter 25 vereadores, baseado no número da população. Como a atual legislatura não votou nenhum projeto limitando o número nos atuais 19, temos uma lacuna jurídica aberta. Alguns entendem que a LOM (Lei Orgânica do Município) determina que poderá ser até 25 vereadores. Este “até” implicaria na oficialização dos 19.

Ações

Diante desta lacuna, não será nenhuma surpresa pipocarem ações daqueles que ficaram entre a 20ª e 25ª posição na eleição municipal. Alegariam que pela determinação do STF (Supremo Tribunal Federal) passariam a ter o direito de ocupar uma vaga em Joinville. Isto ainda vai dar o que falar em 2013.

LEGENDA. Cadeiras. Polêmica sobre número de vereadores virá em 2013.

 

Praia

E as conversas sobre a eleição para presidência da Câmara de Vereadores de Joinville mudará de local: será na praia a partir de hoje. Uma boa parte dos vereadores tem casa na praia de Enseada ou amigos, logo, o palco das negociações sobre a eleição será na base do sol, areia e mar.

 

Cruzamento – FOTO LEGENDA – GERALDO CARNEIRO

Continuam as reclamações sobre a falta de segurança e sinalização no cruzamento da Rua Itajaí com a Rua 7 de Setembro. A alegação é de que quem sobe pela Rua 7 de Setembro não em visão dos veículos que vem pela Rua Itajaí. Os resultados são seguidos acidentes no local.

 

Opinião

O prefeito Carlito Merss criticou a atitude do Sinsej (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais) de paralisar as atividades do Hospital São José para exigir de melhorias na refrigeração.  Carlito diz que o pedido é justo, mas lembra que a saúde municipal está sobrecarregada pela greve estadual.

 

Critica – FRASE COM FOTO

“Entendo a necessidade de melhorias, mas o movimento ontem no hospital foi num momento errado e contra quem está agüentando a greve estadual”

Carlito Merss, prefeito de Joinville

 

Decisão

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) julgará somente em fevereiro ou março de 2013 o recurso da defesa do prefeito Carlito Merss (PT) que teve o registro de candidatura cassado durante a campanha de primeiro turno. O advogado Mauro Prezotto disse que o recurso está no Ministério Público Federal para que apresente as alegações. Após isto, será a vez da defesa se manifestar.

 

FRASE SEM FOTO 

 “Reafirmamos que Carlito como prefeito não fez qualquer tipo de ato ilegal com relação às contas relacionadas à propaganda de seu governo. A média de gastos doS últimos anos foi menor que a dos três últimos anos, pois não podemos calcular empenhos”,

Mauro Prezotto, advogado de defesa de Carlito Merss 

 

Papai Noel

Poucas lojas investiram na imagem do Papai Noel em Joinville. No Centro, apenas uma loja contratou um senhor para desempenhar o papel do bom velhinho. O proprietário do estabelecimento estava feliz com os resultados, tanto que revelou que o movimento aumentou em 30%. Não se entende os motivos dos demais comerciantes não seguirem o mesmo exemplo.

Engessou

A  LOT (Lei de Ordenamento Territorial) não foi votada neste ano. Tudo ficou para 2013, possivelmente com o final da novela epnas para abril. Isto definitivamente engessou a cidade porque a LOT regularizaria as áreas industriais, urbanas e rurais de Joinville. Centenas de empresas que aguardavam a aprovação do projeto para liberarem o alvará de construção, ampliação e até mesmo para apenas legalizar as áreas onde já funcionam, estão paradas. De janeiro até agora, dezenas de empresas desistiram de se instalar em Joinville pela falta desta lei e seguiram para Araquari.

 

Polêmica para 2013

Ficou mesmo para 2013 a discussão sobre  construção do novo prédio para a unidade de saúde pública para o bairro São Marcos, em substituição ao atual que não atende a demanda. O prédio seria erguido no terreno cedido pela Associação de Moradores do Bairro São Marcos, mas a Fundema (Fundação Municipal do Meio Ambiente constatou que pelo projeto que a obra estava dentro da faixa limite de 30 metros de um riacho que corta o terreno, onde não é permitida construções. O município terá que correr atrás dos R$ 600 mil liberados pelo governo federal em janeiro de 2013.

Outra proposta

Outra proposta para 2013 é a construção de uma ponte na Rua Barbacena para diminuir o fluxo de veículos na Rua Ijuí, desde que a pavimentação da seja recuperada e a sinalização aprimorada. Isto melhorará o fluxo de veículos no bairro Anita Garibaldi, que atualmente causa transtornos aos moradores dos bairros Nova Brasília e Morro do Meio.

Loading...